A palavra “cruzada” vem da palavra latina crux, que significa “cruz”. Em guerras chamadas Cruzadas, cristãos da Europa lutaram contra muçulmanos pelo domínio de Jerusalém e de outros lugares sagrados. Os soldados cristãos, chamados cruzados, usavam a cruz como símbolo de sua religião. As Cruzadas aconteceram entre 1095 e 1291.

Jerusalém é uma cidade sagrada para várias religiões. Antigamente, era a principal cidade dos judeus. Nos séculos seguintes à morte de Jesus, muitos cristãos moravam nela. Logo depois que surgiu a religião muçulmana, seus adeptos conquistaram Jerusalém. Todavia, eles permitiam aos cristãos fazer peregrinações à cidade. Em 1071, os turcos seldjúcidas (um grupo muçulmano que era hostil aos peregrinos cristãos) tomou o poder na cidade. Eles também atacaram o Império Bizantino, que era cristão.

O imperador bizantino temia que os muçulmanos atacassem Constantinopla (atual Istambul, na Turquia), sua capital. Então, pediu ajuda ao papa em Roma. Em 1095, o papa incitou os cristãos a retomar Jerusalém.

Início das Cruzadas

O principal exército da Primeira Cruzada saiu da Europa em agosto de 1096 e conquistou Jerusalém em 15 de julho de 1099.

A maioria dos cruzados voltou para casa após essa guerra. Outros ficaram na Terra Santa e estabeleceram estados cristãos. Em 1144, os turcos capturaram um desses estados cristãos. Governantes alemães e franceses convocaram novos soldados para a Segunda Cruzada, que acabou sendo derrotada.

O líder muçulmano Saladino conquistou Jerusalém em 1187. Os reis da Inglaterra, da França e da Alemanha lançaram a Terceira Cruzada contra ele, mas não conseguiram reconquistar Jerusalém. Contudo, o rei inglês assinou um tratado de paz com Saladino em 1192, de modo a permitir que os peregrinos cristãos visitassem os lugares sagrados de Jerusalém.

Cruzadas do século XIII

A Quarta Cruzada começou em 1202. Os cruzados planejavam atacar os muçulmanos no Egito, porém seus planos mudaram quando eles atravessaram Veneza. Os venezianos convenceram os cruzados a capturar Zara (atual Zadar, na Croácia), uma cidade cristã que competia com Veneza pelo comércio. Em 1204, os venezianos e os cruzados tomaram Constantinopla, pilhando a cidade.

Em 1212, dois grupos separados de crianças viajaram para Jerusalém. Algumas delas morreram durante a difícil jornada. Outras foram capturadas e vendidas como escravas. Nenhuma das chamadas Cruzadas das Crianças se aproximou de Jerusalém.

Cruzados franceses e alemães chegaram ao Egito em 1218, como parte da Quinta Cruzada. Em 1219, os muçulmanos propuseram aos cruzados devolver-lhes Jerusalém se eles deixassem o Egito. O chefe dos cruzados recusou. Posteriormente, ele foi derrotado.

Frederico II, imperador do Sacro Império Romano-Germânico, partiu para a Sexta Cruzada em 1228. Ele assinou um tratado com o líder do Egito que garantiu aos cristãos o controle sobre a maior parte de Jerusalém. Em 1244, contudo, os turcos reassumiram o domínio de Jerusalém. Isso levou à Sétima Cruzada, em 1249. Luís IX, rei da França, liderou-a. Ele foi capturado e preso, sendo libertado em 1250. Em 1270, Luís IX conduziu a Oitava Cruzada, porém morreu vitimado pela peste, e essa cruzada fracassou.

Os cruzados perderam o ânimo para continuar a luta. Em 1291, os muçulmanos recapturaram os últimos estados cristãos na Terra Santa.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.