Dentes-de-leão são plantas com florações em tom amarelo vivo, que se transformam em papilhos redondos e penuginosos. As diversas espécies ou tipos de dente-de-leão são da mesma família das margaridas e dos girassóis: a família das compostas.

Originários da Europa e da Ásia, os dentes-de-leão agora se encontram por toda a América do Norte. Eles resistem ao inverno e renascem a cada primavera. No Brasil, a planta cresce espontaneamente em várias regiões.

Muitas vezes, essas pequenas plantas crescem rente ao solo. Suas folhas verdes denteadas ficam em torno da base de uma haste oca. A raiz central ou principal pode ter até 1,5 metro de profundidade. Na primavera e no verão, cada planta produz um único papilho composto por muitas flores amarelas e minúsculas.

Após florir, os dentes-de-leão produzem um papilho de sementes finas e de tom acastanhado. Cada semente é ligada a uma estrutura que parece uma pluma. A brisa espalha amplamente essas sementes.

As folhas de dente-de-leão são comestíveis e podem fazer parte de saladas. Suas raízes são usadas para fazer uma bebida parecida com o café.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.