Dicionário é uma lista abrangente de palavras (ou vocábulos) de um idioma, normalmente em ordem alfabética. Os dicionários são publicados em forma de livro, mas também podem ser editados em outro suporte, ou meio, como um CD ou um site da internet. Além do significado e da forma correta de escrever cada palavra, os dicionários podem indicar variações ortográficas (formas diferentes de escrever algumas palavras), sinônimos, categoria gramatical e origem dos vocábulos. Esses são os chamados “dicionários gerais da língua”. Os dicionários são instrumentos preciosos para usar melhor a linguagem.

Tipos de dicionário

Existem dicionários bilíngues ou plurilíngues, que traduzem o significado das palavras em outros idiomas. Os dicionários etimológicos contam a história dos vocábulos. Os de sinônimos e antônimos colocam lado a lado palavras de mesmo sentido e de sentidos opostos. Já os dicionários temáticos registram apenas termos de uma determinada área de conhecimento (cinema, finanças ou informática, por exemplo). Os dicionários também podem ser ilustrados com imagens de ilustrações ou de fotografias.

História

Listas de palavras com seus significados foram organizadas na Mesopotâmia (no antigo Oriente Médio) por volta de 2.600 a.C. Os gregos e os romanos, no século I d.C., também criaram livros que explicavam o sentido das palavras. O dicionário em ordem alfabética, tal como o conhecemos hoje, surgiu no final da Idade Média. Com a invenção da imprensa, por volta de 1450, aumentou o número de traduções de textos (do latim para as modernas línguas europeias e dessas línguas entre si). Os dicionários se tornaram uma ferramenta indispensável para os tradutores.

Em língua portuguesa

As primeiras obras do gênero em português datam do século XVI. O Dicionário da língua portuguesa, de Antônio Morais da Silva, publicado em Lisboa em 1789 (edição de 1813, revista e ampliada), é considerado o primeiro dicionário moderno do idioma. No século XIX, destaca-se o Dicionário Caldas Aulete, do português Francisco Caldas Aulete. Na segunda metade do século XX, obras como o Novo dicionário da língua portuguesa, de Aurélio Buarque de Hollanda Ferreira, e o Dicionário Houaiss da língua portuguesa, de Antônio Houaiss, incorporam à língua portuguesa palavras e expressões de uso corrente no Brasil.

A ideia de que um vocábulo só existe quando está no dicionário é equivocada. Na verdade, a língua é um organismo vivo. Palavras surgem e morrem o tempo todo. Elas nascem no momento em que são ditas ou escritas pela primeira vez. Algumas duram séculos. Outras desaparecem sem deixar rastro. O dicionário registra as palavras que se fixam no idioma.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.