O diplodoco é o dinossauro mais comumente exibido em museus. Este dinossauro era mais longo que uma quadra de tênis e seu esqueleto é um dos mais completos já descobertos. O nome diplodoco significa "dupla viga”. Este nome vem de uma característica especial dos ossos da cauda. O diplodoco pertence a um grupo de enormes dinossauros chamados saurópodes. Os saurópodes eram grandes dinossauros herbívoros com pescoços longos, corpos maciços e quatro patas em forma de pilares.

Quando e onde viveu o diplodoco

O diplodocu viveu cerca de 159 a 144 milhões de anos atrás, durante um período da história da Terra chamado de Jurássico. Restos desse dinossauro foram encontrados na América do Norte, especialmente no Colorado, Montana, Utah e Wyoming. Este enorme dinossauro vivia em várzeas, onde as plantas cresciam de maneira densa, e à beira das florestas; ou em qualquer outra área com muitas árvores.

Características físicas

O diplodoco media até 27 metros de comprimento e podia alcançar uma altura de até 4,6 metros dos quadris. Tinha um pescoço longo e uma cauda muito longa. Pela sua estrutura física, os cientistas comparam-no a uma ponte suspensa. Ele tinha uma cabeça pequena, com forma similar à de um cavalo e um cérebro muito pequeno. Na parte da frente da boca tinha dentes em forma de prego. As patas traseiras eram um pouco mais longas do que as patas dianteiras, o que o ajudava a se inclinar para baixo. O diplodoco tinha pés como de elefante, com três garras em cada pata traseira. Uma parte dos ossos da cauda apresentava um par de projeções em forma de bigorna, ou seja, com duas pontas, na parte inferior de cada osso. Os cientistas acreditam que esses ossos protegiam os vasos sanguíneos e os tecidos da cauda. Também, acreditavam que o diplodoco arrastava a cauda no chão, mas atualmente eles concordam com que este dinossauro mantinha a sua cauda alta, longe do chão. Ele pode ter usado a cauda como um chicote para autodefesa.

Comportamento

O diplodoco comia plantas. Ele pode ter se alimentado de samambaias baixas, embora o seu longo pescoço também lhe permitiu alcançar os topos das árvores. Alguns cientistas pensam que o diplodoco realmente se levantou sobre as patas traseiras para alcançar a ponta das árvores. A estrutura especial da cauda poderia ter servido como uma pata extra para que o animal pudesse se reclinar para trás. O diplodoco não tinha dentes posteriores para mastigar, por isso ele engolia pequenas pedras para ajudá-lo a digerir as plantas no estômago. O diplodoco vivia e andava em rebanhos. Este dinossauro reproduzia por ovos.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.