Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon, ou dom Pedro I, coroado logo após proclamar a Independência do Brasil, foi o primeiro imperador do país. Nasceu no Palácio de Queluz, nos arredores de Lisboa, em Portugal, em 12 de outubro de 1798. Morreu no mesmo lugar, em 24 de setembro de 1834.

Dom Pedro I era filho do rei dom João VI e da infanta Carlota Joaquina de Bourbon. Tornou-se príncipe herdeiro de Portugal em 1801, após a morte de seu irmão mais velho, Antônio. Chegou ao Brasil em 1808, acompanhando a família real portuguesa no momento em que as tropas de Napoleão Bonaparte invadiam Portugal. Em 1818, casou-se com Maria Leopoldina Josefa Carolina de Habsburgo, arquiduquesa da Áustria. Com ela teve sete filhos, entre eles dona Maria da Glória, que se tornou rainha de Portugal com o nome de dona Maria II , dom Pedro de Alcântara, sucessor do pai como imperador do Brasil (com o nome de dom Pedro II) e dona Francisca de Bragança (a princesa de Joinville).

Em 1821, com o retorno de dom João VI a Portugal, dom Pedro permaneceu no Brasil como príncipe regente, mas, meses mais tarde, as Cortes portuguesas exigiram o retorno do príncipe a Portugal. Apoiado pelos brasileiros, ele decidiu contrariar as ordens recebidas e permanecer no país. As Cortes ameaçaram com uma série de retaliações caso o retorno do príncipe não fosse imediato. Dom Pedro recebeu a carta com essas ameaças no dia 7 de setembro de 1822, às margens do rio Ipiranga, em São Paulo, e ali proferiu o famoso grito de “Independência ou morte”, proclamando a independência do Brasil.

Três meses depois, dom Pedro foi coroado imperador do Brasil, e uma assembleia constituinte deu início à criação da primeira Constituição do Brasil. Divergências políticas levaram dom Pedro I a dissolver a assembleia em 1824 e a aprovar a Constituição elaborada pelo Conselho de Estado indicado pelo imperador.

Em 1826, morrem dom João VI (10 de março) e a imperatriz Leopoldina (11 de dezembro). Pedro resolve assumir o trono de seu pai, tornando-se dom Pedro IV, 27° rei de Portugal. Por não poder acumular as duas coroas, abdicou do trono português em favor de sua filha, dona Maria da Glória.

Em 1829, o imperador casou-se com a duquesa Amélia de Leuchtenberg, com quem teve uma filha. Com o tempo, a popularidade de dom Pedro ficou desgastada entre os brasileiros e, em 1831, abdicou do trono do Brasil em favor de seu filho Pedro de Alcântara, que mais tarde se tornou dom Pedro II.

De volta a Portugal, lutou para reaver o trono de sua filha, Maria da Glória, que fora usurpado por seu irmão, dom Miguel. Depois da coroação de Maria da Glória como dona Maria II de Portugal, o ex-imperador contraiu uma tuberculose e morreu aos 36 anos de idade. Foi sepultado em Portugal, mas, em 1972, durante as comemorações dos 150 anos da independência do Brasil, seus restos mortais foram trazidos para o Monumento do Ipiranga, em São Paulo.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.