A educação para o trânsito é um tipo de aprendizado que mostra os direitos e os deveres do cidadão no trânsito de uma cidade. Seja de carro, seja a pé, todos precisam obedecer às regras de tráfego pelas ruas; do contrário, o trânsito fica caótico e muitos acidentes podem acontecer.

Existem muitas regras, mas, na prática, depois de descobrir para que serve cada sinalização de trânsito, fica bem mais fácil e mais seguro andar nas ruas.

Por exemplo, perto da entrada de muitas escolas há uma faixa de pedestres, e muitas vezes também um semáforo. Quem vai para a escola a pé deve atravessar as ruas pelas faixas de pedestres. Na verdade, devemos atravessar a rua sempre pela faixa de pedestres todas as vezes que houver uma na quadra em que estamos andando. Isso é mais seguro porque, quando estamos passando pela faixa de pedestres, os motoristas devem reduzir a velocidade e, se houver semáforo, é obrigatório que parem se o farol estiver vermelho para eles. Os semáforos são um tipo de sinalização de trânsito que possui luzes de três cores: verde, amarela e vermelha. Verde quer dizer “siga em frente”. O amarelo serve para “pedir atenção”, é quase um farol fechado. O farol vermelho significa PARE. Há muitos locais em que há um semáforo para o trânsito de carros e outro para o trânsito de pedestres, com o desenho de dois homenzinhos nas cores vermelha e verde.

Além do semáforo e da faixa de segurança, há várias placas de trânsito importantes para que a cidade não fique parada. Existem as placas de regulamentação com fundo branco e borda vermelha, que proíbem ou permitem certas atitudes como estacionar o carro ou não, virar ou não em determinada direção, ou que sinalizam o limite de velocidade.

As placas de advertência são sempre na cor amarela e os símbolos são em cor preta. As placas chamam a atenção, principalmente dos motoristas, sobre o que acontece em determinada área de uma cidade como: circulação ou travessia de pedestre, área escolar, curva acentuada, etc.

Há também as placas de serviços auxiliares, que mostram a direção de determinados serviços, como aeroporto, hospital etc.

As placas de sentido e de distância são verdes e costumam ficar bem no alto de uma rodovia ou estrada bastante movimentada, para que o motorista possa vê-la de longe e já ir se preparando para a direção que deve seguir, pois elas mostram em qual direção fica tal cidade.

Existem também placas azuis com letras brancas. Elas se chamam placas informativas e mostram, por exemplo, onde ficam as fiscalizações eletrônicas de limite de velocidade. As placas educativas são brancas com letras pretas e ajudam o motorista a se comportar no trânsito, obedecendo à sinalização — por exemplo, baixando a luz do farol à noite nas cidades ou, nas estradas, quando há pessoas ou carros vindo em sentido contrário.

A tudo isso o pedestre pode prestar muita atenção, mas, ao andar a pé, deve seguir pela calçada, longe do meio-fio, quer dizer, da beira da calçada, e atravessar na faixa de pedestre apenas com o farol verde, sem correr.

É tão importante saber a forma correta de se comportar no meio do tráfego das ruas, prevenindo acidentes, que atualmente muitas escolas já começaram a dar aos seus alunos as primeiras noções de educação para o trânsito.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.