A engenharia utiliza os conhecimentos científicos para criar máquinas, estruturas e produtos que têm como objetivo melhorar a vida das pessoas. A palavra “engenharia” vem do latim, ingenerare, que significa criar.

A engenharia tem por base principalmente a física, a química e a matemática. Engenheiros utilizam essas ciências para encontrar soluções para problemas econômicos, ambientais e sociais.

Ramos da engenharia

A engenharia se divide em diversos ramos que muitas vezes se inter-relacionam. As maiores especialidades da engenharia são a civil, a química, a elétrica, a mecânica e a de materiais.

O ramo civil é um dos mais antigos. Engenheiros civis são responsáveis pelo planejamento e construção de estruturas como pontes, represas e edifícios. A engenharia química cuida da produção em larga escala de produtos químicos para uso industrial. Engenheiros elétricos se concentram na eletricidade e em todos os sistemas e equipamentos a ela conectados. A engenharia mecânica abrange o planejamento, a construção e o uso de máquinas. Engenheiros de materiais desenvolvem novos materiais para ser utilizados em produtos que tornam a vida mais fácil, mais segura ou mais divertida.

História

O primeiro engenheiro famoso foi Imhotep, que construiu uma pirâmide de degraus em Sakkara, no Egito antigo, por volta do ano 2550 a.C. Os sucessores de Imhotep — não só egípcios, mas também persas, gregos e romanos — desenvolveram e aprimoraram as técnicas de engenharia civil. O farol de Alexandria, o templo de Salomão em Jerusalém e o Coliseu de Roma são construções que comprovam a habilidade, a ousadia e a criatividade desses engenheiros.

Na Idade Média, engenheiros europeus criaram os arcos góticos, técnica que os romanos antigos não conheciam. Na Ásia, diferentes povos desenvolveram técnicas sofisticadas de construção civil, permitindo o surgimento de grandes civilizações, como o Império Mongol, cujas imponentes cidades impressionaram o explorador Marco Polo no século XIII.

No século XVIII, a Inglaterra e a Escócia foram o berço da engenharia mecânica, a partir das invenções do escocês James Watt e das máquinas têxteis da Revolução Industrial.

No século XIX, o crescente domínio da eletricidade levou ao nascimento das engenharias elétrica e eletrônica. A invenção do transistor, em meados do século XX, deu grande impulso a essa área.

A engenharia química nasceu também durante o século XIX. Por volta de 1880, o grande uso de produtos químicos em indústrias como a metalúrgica e a alimentícia levou ao surgimento de outra indústria, destinada a produzir apenas substâncias químicas.

Alguns tipos de engenharia surgiram no século XX e vêm se desenvolvendo no século XXI. Dentre eles estão a engenharia da computação, a engenharia biomédica e a engenharia genética.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.