O conjunto de ossos do corpo de um animal chama-se esqueleto e os animais que possuem essa estrutura são os mamíferos, as aves, os répteis, os anfíbios e os peixes. Já os insetos e os moluscos não possuem ossos dentro do corpo, mas têm uma cobertura rígida externa chamada exosqueleto (ou exoesqueleto). O esqueleto externo de corais e esponjas é feito de minerais rochosos, não de ossos. Alguns animais, como as medusas (ou águas-vivas), não têm nenhum tipo de esqueleto.

O ser humano apresenta um esqueleto com mais de duzentos ossos, que, com sua rigidez, sustentam o corpo todo. Além disso, o esqueleto protege os órgãos dentro do corpo e trabalha em conjunto com os músculos para permitir a locomoção.

Sustentação

A primeira função do esqueleto é a sustentação. Por exemplo, a espinha, ou coluna vertebral, sustenta toda a parte superior do corpo, permitindo que o ser humano fique ereto e ande na posição vertical. Devido a essa postura, os seres humanos têm grandes vantagens sobre os outros animais, pois, como usam apenas as pernas para andar, os braços ficam livres para outras atividades, como o uso de ferramentas.

Proteção

A segunda maior função do esqueleto é a proteção. Sua estrutura rígida protege os órgãos do corpo — como a caixa torácica, formada pela coluna e pelas costelas, que protege o coração, os pulmões e outros órgãos do tórax.

O esqueleto ainda protege o sistema nervoso central, formado pelo cérebro e pela medula espinhal. Os ossos do crânio envolvem e protegem o cérebro; as vértebras, ou ossos da espinha, fazem o mesmo com a medula espinhal.

Locomoção

A terceira principal função do esqueleto é a locomoção. O esqueleto trabalha em conjunto com os músculos para que o corpo se movimente de diversas formas. Quando o cérebro ordena a um músculo que se mova, o músculo puxa ou empurra os ossos a ele ligados.

Como os ossos do esqueleto são ligados

Tecidos fortes e fibrosos, chamados ligamentos, e os músculos mantêm unidos os ossos do esqueleto. Na maioria dos casos, porém, é um cordão chamado tendão que une os músculos aos ossos.

Nos pontos em que os ossos têm contato, há uma cobertura protetora chamada cartilagem. Se dois ossos se atritam sem essa proteção, logo ficam danificados. A cartilagem é forte o suficiente para proteger os ossos, mas elástica o bastante para não se romper. Ela está presente na extremidade de vários ossos e nas articulações, como os joelhos e os quadris. A cartilagem também une partes da caixa torácica, permitindo às costelas expandir-se e contrair-se durante a respiração.

A cartilagem, no entanto, pode sofrer lesões, e sua reconstituição não é fácil. Conforme as pessoas envelhecem, as cartilagens de algumas articulações podem se desgastar, e isso deixa os ossos raspando uns nos outros, o que pode ser bastante dolorido. Nesses casos, os médicos podem substituir a articulação por uma artificial, feita de plástico ou metal.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.