As estrelas são enormes bolhas brilhantes de gases. A estrela mais próxima da Terra é o Sol. A maioria dos pontinhos de luz que brilham à noite no céu também são estrelas. Milhares delas estão longe demais da Terra para ser vistas sem telescópio. A maioria desses corpos celestes fica a uma distância incrível.

As estrelas estão reunidas em grandes grupos chamados galáxias. O Sol e o Sistema Solar, do qual faz parte a Terra, integram a Via Láctea, uma galáxia com centenas de bilhões de estrelas. No Universo há muitos bilhões de galáxias.

Fonte de energia

Quase todas as estrelas são compostas principalmente de um gás chamado hidrogênio. O núcleo de uma estrela é muito quente. Quando uma grande pressão o comprime, isso leva uma parte do seu hidrogênio a se converter em outro gás chamado hélio. Esse processo produz uma enorme quantidade de energia e faz a estrela brilhar.

Características físicas

As estrelas variam em tamanho, temperatura, brilho e cor. A temperatura de uma estrela, assim como seus elementos químicos, a faz brilhar com uma certa cor. As estrelas mais azuis geralmente são mais quentes, ao passo que as mais vermelhas são mais frias. O Sol fica num meio-termo: emite uma luz amarela. No que diz respeito a brilho e tamanho, o Sol é uma estrela mediana.

A vida das estrelas

As estrelas começam como nuvens de hidrogênio e poeira. Essa matéria lentamente se agrega em blocos e, quando se comprime mais fortemente, os blocos ficam mais quentes. A pressão aumenta. Por fim, o hidrogênio começa a se transformar em hélio e a estrela passa a brilhar fortemente.

Depois de brilhar durante bilhões de anos, ela consome todo o seu hidrogênio. As estrelas pequenas e as médias esfriam lentamente e deixam de brilhar. Isso também vai acontecer com o Sol daqui a bilhões de anos.

As estrelas grandes chegam ao fim com uma explosão violenta chamada supernova. Depois dela a matéria se comprime, ficando bem menor, e não brilha mais. As estrelas enormes (maiores ainda que as outras) chegam ao seu fim na forma de objetos chamados buracos negros. A matéria comprimida neles é tão pesada em relação ao seu tamanho que gera uma fortíssima atração para o seu interior. Essa atração, chamada gravidade, é tão forte que suga qualquer coisa que se aproxime do buraco negro.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.