Os mosquitos que vivem nas regiões tropicais podem transmitir diversas doenças. Uma dessas doenças, a febre amarela, ocorre principalmente na África e na América do Sul. Durante séculos a febre amarela foi uma doença perigosa. Hoje em dia, ela ainda deve ser levada a sério, mas pode ser facilmente prevenida.

Transmissão

São as fêmeas do mosquito que podem carregar um vírus que causa a febre amarela. Elas transmitem dois tipos de febre amarela: a febre amarela silvestre e a febre amarela urbana.

A febre amarela silvestre afeta principalmente os macacos das florestas tropicais da África e da América do Sul. Se um mosquito pica um desses macacos infectados, pode depois transmitir o vírus da febre amarela para outros animais ou pessoas que forem picados por ele.

A febre amarela urbana afeta principalmente os seres humanos. Ela normalmente é encontrada em cidades da África tropical e da América do Sul. Os mosquitos transmitem a doença de uma pessoa para outra.

Sintomas

Muitos casos de febre amarela são leves. A infecção começa com febre, calafrios, dores musculares, dores de cabeça e náuseas. Alguns dias depois, o paciente começa a melhorar.

Em alguns casos, no entanto, a pessoa não sara direito e a febre pode voltar, e aí é mais grave. O paciente pode vomitar sangue ou ter sangramentos no nariz e nos olhos. Seu fígado pode não funcionar direito e o paciente pode desenvolver icterícia, isto é, seus olhos e sua pele ficam amarelados. Os rins também podem deixar de funcionar direito. Cerca de metade dos pacientes que desenvolvem esses sintomas mais sérios morre.

Prevenção

As pessoas que moram em áreas afetadas pela febre amarela ou vão viajar para elas devem tomar uma vacina que previne a doença. A vacina é muito eficiente e segura. Uma única dose dela protege contra a febre amarela por dez anos.

Outra maneira de prevenir a febre amarela é controlar a população de mosquitos nas áreas urbanas. Matar os mosquitos ou evitar que eles se reproduzam pode ajudar na prevenção de outras doenças transmitidas por eles, como a dengue.

Tratamento

Não há cura para a febre amarela. Os antibióticos usados para tratar outras doenças não funcionam contra o vírus. O tratamento da febre amarela é feito com medicamentos que aliviam os sintomas do paciente. Pacientes com sintomas mais severos muitas vezes precisam ser tratados em um hospital.

A febre amarela no Brasil

O Rio de Janeiro, em 1849, quando era capital do império, e a cidade de Campinas, no estado de São Paulo, em 1889, sofreram muito com fortes epidemias de febre amarela. Outros surtos epidêmicos se sucederam. Em 1903, Osvaldo Cruz começou a primeira campanha contra a febre amarela no Brasil, no Rio de Janeiro. Ele era um médico e cientista brasileiro dedicado ao estudo de bactérias e ao combate a epidemias, além de lutar com energia pela implantação de medidas sanitárias. Seu trabalho deu resultado ao longo do tempo.

Desde 1942 não há registro de casos de febre amarela urbana no Brasil. Mas existem relatos de pessoas contaminadas pela febre amarela silvestre, inclusive em áreas urbanas.

A zona rural das regiões Norte e Centro-Oeste, o estado do Maranhão e parte dos estados de Piauí, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul são considerados pelo Ministério da Saúde como áreas de risco de febre amarela. Em caso de dúvida, é recomendado procurar um posto de saúde para saber se é preciso tomar a vacina.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.