O feudalismo foi um sistema social e político que se desenvolveu na Europa no período conhecido como Idade Média. É provável que tenha começado após o reino de Carlos Magno, líder do Império Romano. Após sua morte, em 814, o império fragmentou-se, uma vez que não foi substituído por nenhum outro governo centralizado. Em vez disso, as pessoas passaram a viver em unidades locais menores, os reinos. Estes enfrentavam ataques de vikings e de outros povos, até mesmo de reinos vizinhos. As pessoas estabeleciam relacionamentos dentro de suas unidades que lhes permitiam viver em relativa paz.

Como funcionava o feudalismo

Para proteger-se, os senhores das terras locais construíam castelos. Eles contavam, também, com guerreiros chamados cavaleiros.

Um senhor e seus cavaleiros selavam um pacto, prestando juramentos de lealdade. A cada cavaleiro, também conhecido como vassalo, o senhor concedia um pedaço de terra, chamado feudo. Em troca, os vassalos comprometiam-se a servir militarmente ao senhor sempre que ele pedisse. Com o tempo, os próprios senhores se tornavam vassalos de um rei.

Os camponeses ocupavam a posição mais baixa na sociedade feudal, trabalhando na terra e prestando outros serviços para os senhores e vassalos. Os servos da gleba eram camponeses que viviam próximo ao castelo do senhor. Não eram escravos, mas também não eram livres para sair dali. Eles deviam ao senhor trabalho e alimentos. Em troca, recebiam proteção contra ataques externos.

O fim do feudalismo

O feudalismo surgiu em tempos de violência e desordem. O novo sistema trouxe segurança e ordem, permitindo que as pessoas viajassem e que o comércio se desenvolvesse. As pessoas começaram a enriquecer, e o uso do dinheiro tornou-se mais comum. Com o tempo, os vassalos passaram a pagar aluguel a seus senhores, em vez de prestar serviços militares a eles. Muitos senhores passaram a contratar soldados profissionais, pagos em dinheiro, em vez de depender dos cavaleiros.

No século XIV o feudalismo já havia desaparecido quase por completo. Os europeus criaram novas formas de governo, não baseadas no feudo. A monarquia — o governo exercido por reis — fortaleceu-se.

Entretanto, alguns vestígios do feudalismo continuaram presentes na Europa por centenas de anos. Na França, os camponeses continuaram a dever serviços aos latifundiários até a Revolução Francesa, que começou em 1789. Na Rússia, os servos só conquistaram sua liberdade em 1861.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.