A fibra é um filamento produzido por plantas, animais ou seres humanos. Fibras geralmente são longas e finas. Elas são usadas para fazer diversos produtos úteis, como escovas, cordas, papel e material têxtil. Há dois tipos de fibras: as naturais e as artificiais.

Fibras naturais

Dentre os exemplos de fibras naturais vegetais estão a borracha e a celulose, que é uma substância resistente encontrada nas plantas. As fibras naturais animais incluem cabelos ou pelos e o fio da seda, que é produzido quando as lagartas do bicho-da-seda confeccionam seus casulos.

Preparação das fibras naturais

As fibras naturais integrais podem ser trançadas para produzir objetos variados. Por exemplo, cestos são feitos com folhas ou varas entrecruzadas. Como muitas fibras naturais são finas demais ou se partem com facilidade, elas precisam ser espessadas e reforçadas antes da utilização, o que é feito unindo-se várias delas.

A maneira mais comum de unir as fibras é torcer diversos filamentos para formar um fio mais grosso. Feixes de fibras também são usados para fazer linha, cordões e cordas. Feltro e papel surgem quando as fibras são tramadas de modo a formar uma folha.

Usos e propriedades

A fibra natural pode ser tanto larga e grossa como comprida e fina. Também pode ser lisa ou áspera. Algumas são muito flexíveis, enquanto outras são mais duras. As fibras de seda e de algodão são leves e macias, e os tecidos feitos com elas são perfeitos para confeccionar peças de vestuário e roupas de cama e mesa. A lã pode ser áspera e picar, mas, como aquece bem, é usada para fazer casacos e cobertores.

O capim dourado, uma planta nativa brasileira que só cresce na região do Jalapão, tem uma haste de cor brilhante com a qual são feitos itens de bijuteria, bolsas, sandálias, cintos, chapéus, fruteiras e outros objetos, vendidos em todo o Brasil e em outros países.

As fibras naturais mais grosseiras, ásperas e irregulares são usadas na confecção de objetos mais rústicos. Por exemplo, a palha, a juta, o sisal e o cânhamo são usados para confeccionar tapetes, chapéus, cordas e cestos. As cerdas — pelos curtos e duros de animais — servem para fazer escovas e pincéis.

Fibras artificiais

As fibras artificiais não crescem na natureza. São criadas em laboratórios e produzidas pelas fábricas através de processos químicos especiais.

Produção de fibras artificiais

Um inventor francês criou a primeira fibra artificial, chamada raiom, no fim do século XIX. O raiom vem da celulose das plantas. Primeiro a celulose é transformada em líquido, depois forçada através de orifícios minúsculos, formando assim longos filamentos. O acetato e o lyocell também são fibras artificiais produzidas a partir da celulose.

Utilização e propriedades

As fibras artificiais, também chamadas de fibras sintéticas, são fortes e flexíveis. Algumas, como o náilon e o elastano, podem ser esticadas como uma tira de borracha. São usadas na confecção de diversos produtos, como roupas, carpetes, forração de móveis ou cordas.

As roupas feitas com tecidos de fibras sintéticas tornaram-se muito populares no século XX por custarem menos do que aquelas feitas de seda ou de outros tecidos de fibras naturais. Além disso, elas não amassam nem encolhem como acontece com o algodão. Porém as roupas feitas com tecidos de fibras sintéticas não “respiram”, isto é, não deixam passar o ar tão bem quanto as naturais. Por isso, uma roupa de poliéster, por exemplo, pode ser bem desconfortável em um dia quente. Atualmente, muitas roupas são feitas de uma mistura de fibras naturais e artificiais. Um exemplo são as camisas e os jeans de algodão que, por conter elastano na composição, apresentam certa elasticidade.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.