Galinhas-d’angola são aves de origem africana encontradas tanto em ambientes selvagens quanto domesticados, como chácaras e fazendas. As galinhas-d’angola selvagens são um alvo comum de caça. As domesticadas muitas vezes são criadas para o consumo da carne. Alguns donos de fazendas, porém, gostam de usá-las para proteger sua propriedade, por causa do canto barulhento dessas aves.

Onde vive a galinha-d’angola

Galinhas-d’angola de diversas espécies são comuns em toda a África continental, bem como em Madagascar e em outras ilhas do oceano Índico. A maior e mais colorida de todas é a pintada-vulturina, da África oriental. A galinha-d’angola é criada também fora da África — por exemplo, nas Américas e na Europa.

Características físicas

A galinha-d’angola é aproximadamente do mesmo tamanho que uma galinha comum, porém tem corpo mais robusto e bulboso, além de asas curtas e arredondadas. Suas penas geralmente são azul-acinzentadas e pontilhadas com manchas brancas. A cabeça é azulada, sem penas, e coberta por um “capacete”, que na verdade é uma crista em forma de chifre. Penduradas dos dois lados do rosto há papadas vermelhas e azuis.

Comportamento

Galinhas-d’angola vivem em bandos e ciscam o chão em busca de insetos, sementes e bulbos. À noite, dormem em árvores. Quando se assustam, elas correm e, se necessário, conseguem voar curtas distâncias. Seu canto é alto e repetitivo.

As fêmeas fazem ninho em buracos no solo e põem cerca de 12 ovos pintados a cada vez. Os ovos eclodem dentro de um mês, e os filhotes acompanham os pais logo após o nascimento.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.