Uma geleira, ou glaciar, é uma grande área de gelo espesso que permanece congelada de um ano para outro. As geleiras também deslizam aos poucos em direção à terra. Há milhares de anos, as geleiras cobriam longas extensões. Em algumas épocas, chegaram a cobrir cerca de 30 por cento da superfície terrestre. Em outras, havia menos geleiras que hoje.

Onde ficam as geleiras

Atualmente, existem geleiras no mundo todo. A maior parte da Groenlândia é coberta por grossos lençóis de gelo, tal como a Antártica. Existem geleiras menores nas montanhas Rochosas (na América do Norte), nos Alpes (na Europa), nos Andes (na América do Sul) e até em alguns picos montanhosos ao longo da linha do equador.

Como as geleiras se formam

As geleiras se formam quando a neve é comprimida até se transformar em gelo. Os cristais de neve se acumulam ano após ano nas áreas onde as temperaturas nunca ficam suficientemente elevadas para derreter completamente a neve e o gelo. Quando um grande volume se acumula, a neve sofre uma grande pressão do peso. Finalmente, a neve fica tão comprimida que se torna gelo.

Consequências sobre o meio ambiente

Atualmente, o gelo das geleiras armazena cerca de três quartos de toda a água doce do mundo. Muitas pessoas acreditam que, se as temperaturas ao redor do mundo aumentassem o suficiente a ponto de levar as geleiras a derreter, o nível do mar subiria e ele inundaria as regiões costeiras. Em todo o mundo, ele já está subindo cerca de 2 milímetros anualmente. Os cientistas acreditam que grande parte dessa elevação é provocada pelo derretimento das geleiras.

Apesar dessa atividade, não está claro quanto realmente o nível do mar pode subir por causa do derretimento das geleiras. Alguns cientistas acreditam que, se as temperaturas aumentassem de forma significativa na Terra, o aquecimento do ar provocaria umidade na atmosfera. Ela cairia na forma de chuva e neve, o que poderia compensar os derretimentos de geleiras.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.