A gravação de som, ou gravação de áudio, é o armazenamento de sons de modo que eles possam ser ouvidos de novo. Com qualquer gravador de som é possível fazer isso. Há equipamentos bem simples, para gravar conversas ou entrevistas, por exemplo. Há também equipamentos profissionais, usados nos estúdios de gravação, que gravam a música que as pessoas vão ouvir em discos, CDs, computadores e smartphones. A gravação sonora também é usada no rádio, na televisão e nos filmes.

Como funciona a gravação de som

O som é produzido por pequenas vibrações que viajam pelo ar na forma de ondas. Os equipamentos de gravação usam um microfone para captar as ondas sonoras e transformá-las em sinais elétricos. Um equipamento de reprodução transforma os sinais elétricos novamente em ondas sonoras. Ele envia essas ondas para alto-falantes, que reproduzem o som original.

Os equipamentos de gravação podem registrar o som em vários meios. Os primeiros desses meios eram os discos fonográficos e as fitas magnéticas. O disco fonográfico tem um sulco, no qual são entalhados padrões microscópicos; esses padrões representam as ondas sonoras. As fitas normalmente são feitas de plástico e recobertas por uma camada magnética. Essa camada é que permite o armazenamento do som.

A maioria dos equipamentos de gravação sonora de hoje é digital. Os gravadores digitais armazenam o som em uma longa sequência de números que representam as ondas sonoras. No CD, essa informação é gravada na forma de pequenas ranhuras, criadas e lidas por um feixe de raios laser. As informações digitais também podem ser guardadas em computadores ou equipamentos portáteis chamados tocadores de áudio digitais.

História

Em 1877, Thomas Edison, inventor americano, criou o primeiro equipamento para gravar e reproduzir o som. Era um fonógrafo feito com um cilindro de papelão embrulhado por uma folha de estanho. Dez anos depois, o inventor alemão Emil Berliner, que trabalhava nos Estados Unidos, melhorou o equipamento de Edison, substituindo o cilindro por um disco fonográfico achatado. Berliner também inventou uma maneira de fazer várias reproduções do que estava gravado, criando os primeiros discos idênticos produzidos em série. No início do século XX, os discos se tornaram uma forma popular de ouvir música em casa.

Engenheiros alemães desenvolveram os gravadores de fita em rolo nas décadas de 1930 e 1940. Pesquisadores britânicos e americanos melhoraram o equipamento alemão no fim da década de 1940. No começo dos anos 1980, as fitas cassete de música tinham substituído as fitas de rolo e se tornado mais populares que os discos de vinil.

Foi também no início da década de 1980 que surgiu o CD. Desde então, ele substituiu quase completamente os discos e as fitas cassete. No início, as pessoas podiam comprar apenas CDs pré-gravados. Nos anos 1990 apareceram os CDs graváveis. Essa tecnologia permitiu que as pessoas criassem seus próprios CDs, com a ajuda de computadores. Os primeiros tocadores de áudio digital surgiram no final dos anos 1990. Desde então, os CDs vêm perdendo a popularidade. Muitas pessoas atualmente usam o smartphone como principal meio de ouvir música.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.