Quando países ou outros grandes grupos de pessoas usam armas para lutar uns contra os outros, isso se chama guerra. Ao longo da história, muitos povos têm usado a guerra como meio de resolver disputas.

Tipos de guerra

Há guerras internacionais e internas. Guerras internacionais são travadas entre países ou grupos de países. A Guerra Irã-Iraque (1980-88) foi um conflito internacional entre esses dois países. A Primeira Guerra Mundial (1914-18) e a Segunda Guerra Mundial (1939-45) foram guerras muito mais amplas, envolvendo blocos de países adversários.

Guerras internas são travadas entre grupos de um mesmo país, sendo também conhecidas como guerras civis, rebeliões ou revoluções. Guerras civis são as que ocorrem entre duas facções de um mesmo país. A Guerra de Secessão dos Estados Unidos (1861-65) foi uma guerra civil que começou quando os estados sulistas se separaram do restante dos Estados Unidos. Os estados nortistas lutaram para impedir que isso acontecesse. Uma rebelião ocorre quando cidadãos se revoltam contra seu governo e exigem mudanças, no que podem ter êxito ou não. Embora semelhantes às rebeliões, nas revoluções um grupo consegue derrubar o governo existente e, geralmente, estabelecer um novo governo.

Causas da guerra

Países e outros grupos de pessoas entram em guerra por várias razões. Um país pode achar que não tem terras ou recursos naturais suficientes, então tenta tomar essas coisas à força de uma nação vizinha. Às vezes, as guerras ocorrem simplesmente porque um grupo quer mostrar que é mais poderoso do que o outro. Guerras civis podem começar quando um grupo de um país quer mais poder ou dinheiro. Um grupo também pode lutar para obter liberdade religiosa.

História

Primeiras guerras

Nas primeiras guerras, as pessoas lutavam com armas simples, como bastões de madeira, pedras, lanças e arcos e flechas. Após aprender a usar metais, as pessoas passaram a lutar com espadas e outras armas afiadas e a fazer arcos e flechas melhores.

Por muitos séculos as pessoas lutaram a pé. Há cerca de 4 mil anos, exércitos começaram a usar cavalos para puxar carros de guerra. Posteriormente, guerreiros armados começaram a montar em cavalos para as batalhas.

Guerreiros europeus usaram a pólvora pela primeira vez no século XIV, com a finalidade de explodir muralhas de castelos e disparar mísseis parecidos com setas através de tubos. Foi nessa época que os europeus criaram grandes armas de artilharia, como os canhões. Em meados do século XV, inventores europeus fizeram os primeiros rifles e armas portáteis individuais, o que possibilitou que soldados a pé circulassem com armas na mão.

Guerras modernas

As guerras sofreram uma enorme mudança no século XIX, durante a Revolução Industrial, época em que foram inventadas novas maneiras de produzir bens de forma rápida e mais barata. Um grande número de armas mais potentes e precisas tornou-se disponível para os exércitos. As primeiras metralhadoras surgiram no final do século XIX.

Outras invenções viabilizaram a realização de guerras muito maiores. Graças às máquinas a vapor, os navios de guerra passaram a circular sem depender dos ventos. Telégrafos agilizaram a comunicação entre tropas. Ferrovias levavam tropas e suprimentos mais longe e mais rápido. Todos esses novos avanços tecnológicos tornaram as guerras bem mais destrutivas.

O grande avanço posterior nas guerras foi o uso de aviões durante a Primeira Guerra Mundial. Com isso, os pilotos nos ares podiam atirar bombas. Os exércitos também usaram tanques, submarinos e armas químicas (que liberam gás tóxico) nessa guerra.

Durante a Segunda Guerra Mundial, houve o aperfeiçoamento dos tanques e de várias outras armas. Mas a maior mudança foi o desenvolvimento da bomba atômica, a primeira arma nuclear. Os Estados Unidos lançaram duas bombas atômicas em cidades japonesas durante a Segunda Guerra Mundial. Elas mataram mais de 100 mil pessoas instantaneamente.

Após a Segunda Guerra Mundial, um grupo de países formou a Organização das Nações Unidas, um organismo internacional que tenta dissuadir as nações de entrarem em guerra. Muitos países também fizeram acordos sobre algumas novas regras do direito de guerra, as quais fazem parte de vários acordos fechados na Convenção de Genebra. Uma das regras principais é que países em guerra devem poupar os civis (pessoas que não integram as forças militares).

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.