O hipsilofodonte era um dinossauro herbívoro de pequeno porte. Esta espécie pertence ao grupo hipsilofodon, da ordem dos Ornithischia, ou dinossauros com bacia semelhante à das aves. Eles andavam sobre duas patas e eram muito rápidos.

Quando e onde viveu o hipsilofodonte

Restos de hipsilofodonte foram achados na Europa e na América do Norte. Foi um membro da família de hipsilofodon, que estavam entre os dinossauros mais bem sucedidos, se desenvolvendo por cerca de 100 milhões de anos a partir do Jurássico Superior até o início do período Cretáceo.

Características físicas

O hipsilofodonte chegava a medir 1,5 metro de comprimento, tinha uma altura de 0,9 metro e podia pesar cerca de 64 kilos. Metade do comprimento do hipsilofodonte estava formado pela cauda longa e rígida, que equilibrava o corpo sobre os quadris. Suas pernas leves, porém fortes, tinham pés de quatro dedos, e seus braços curtos tinham as mãos com cinco dedos com garras. Seu focinho terminava em um bico com pontas, e tinha dentes afiados na frente da mandíbula superior, que foram úteis para cortar plantas resistentes. Este dinossauro tinha dentes estriados no alto das bochechas e inspiraram o nome hipsilofodonte, que significa "dente pontudo". Os hipsilofodon podem ter sido o primeiro grupo a ter bochechas bem desenvolvidas para manter o alimento na boca durante a mastigação.

Comportamento

Os fosséis do hipsilofodon sugerem que eram animais sociais que viviam em manadas. É possível que pelos corpos leves e pernas longas eles eram capazes de correr dos predadores, ganhando a reputação de “gazelas” dos dinossauros.

Evidência fóssil

Restos de hipsilofodonte foram descobertos na ilha de Wight, na Inglaterra, em meados do século XIX. Por causa de uma série de interpretações erradas das evidências, se pensou que este dinossauro morava nas árvores. No entanto, a reavaliação das provas em 1974 levou os paleontólogos a concluirem que este dinossauro vivia no chão.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.