Os Cro-Magnons foram uma população primitiva de Homo sapiens, seres humanos que viveram no Período Paleolítico Superior (de aproximadamente 40 mil até cerca de 10 mil anos atrás) na Europa.

No fundo de uma caverna

Em 1868, em uma caverna pouco profunda de Cro-Magnon, no sudoeste da França, alguns esqueletos de ancestrais dos seres humanos de hoje foram encontrados. A caverna foi pesquisada pelo geólogo francês Édouard Lartet, que descobriu cinco camadas arqueológicas. Os ossos humanos encontrados na camada superior provaram ter de 10 mil a 35 mil anos de idade. Os seres humanos revelados nessa descoberta foram chamados de cro-magnons e, desde então, foram considerados, juntamente com os neandertais (H. neanderthalensis), representantes dos homens pré-históricos.

Os cro-magnons possuíam constituição robusta e poderosa e acredita-se que tinham entre 1,66 e 1,71 metro de altura. Eram bastante altos se comparados com outras espécies humanas primitivas. O corpo era, em geral, pesado e com forte musculatura. A testa era reta, com sobrancelhas leves e a face curta e larga. Foram os primeiros humanos a ter queixo proeminente. Sua capacidade cerebral era de cerca de 1.600 centímetros cúbicos, um pouco maior do que a média do homem moderno.

Cultura e arte

Ainda é difícil precisar onde os cro-magnons se situam na escala da recente evolução humana, mas eles tinham uma cultura que produziu uma variedade de ferramentas sofisticadas, como arpões, anzóis, lanças, cinzéis e ferramentas feitas de ossos. Aparentemente, eles também faziam utensílios para alisar e raspar couro.

Os homens de Cro-Magnon eram, aparentemente, um grupo sedentário, que migrava apenas quando necessário, a fim de encontrar nova caça ou por causa de mudanças ambientais. Suas habitações eram, em geral, encontradas em cavernas profundas ou rasas, formadas por saliências de rochas, embora cabanas primitivas, algumas feitas contra muros de rocha e outras construídas totalmente de pedra, também tenham sido encontradas. Os abrigos de rocha eram usados ao longo do ano.

Como os neandertais, os cro-magnons queimavam seus mortos. E os primeiros exemplos de arte pré-histórica são deles. Talhavam e esculpiam pequenas gravuras, relevos e estatuetas, não só de figuras humanas mas também de animais. Suas figuras humanas, em geral, tinham seios fartos, ancas largas, e com frequência eram óbvias representações de mulheres grávidas. Por isso acredita-se que essas figuras eram utilizadas em rituais de fertilidade.

Numerosas representações de animais foram encontradas nas pinturas de cavernas na França e na Espanha, em locais como Lascaux e Altamira, e algumas delas são de impressionante beleza. Imagina-se que essas pinturas tinham alguma importância mágica ou ritualística para as pessoas. Pela alta qualidade de sua arte, é fácil perceber que os cro-magnons não eram amadores primitivos e que já tinham experimentado formas e meios artísticos. Ferramentas e armas decoradas mostram que eles apreciavam a arte por motivos estéticos assim como por suas funções religiosas.

É difícil determinar por quanto tempo os cro-magnons existiram e o que aconteceu com eles. Presume-se que tenham sido gradualmente absorvidos pelas populações europeias que vieram mais tarde. Indivíduos com características dos homens de Cro-Magnon, chamados cro-magnoides, foram encontrados no Período Mesolítico (8000 a 5000 a.C.) e no Período Neolítico (5000 a 2000 a.C.).

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.