Um iceberg é um grande pedaço de gelo que flutua no oceano. Muitos chegam a ter o tamanho de uma casa ou de um grande edifício. A maior parte do iceberg, entretanto, fica escondida embaixo da água, o que o torna um perigo, pois pode danificar ou destruir embarcações.

Os icebergs vêm de geleiras ou glaciares, que são grandes massas de gelo que se movem. No processo de fragmentação de uma geleira, os icebergs que se soltam podem viajar milhares de quilômetros, até encontrar águas quentes o suficiente para derretê-los. Milhares de icebergs se formam todos os anos no Ártico e na Antártica.

Os maiores icebergs já vistos tinham quilômetros de extensão e centenas de metros de altura. Embora sejam extremamente pesados, eles flutuam pela mesma razão que um cubo de gelo flutua num copo de água: o gelo é menos denso (ou seja, é mais leve) do que a água.

Qualquer embarcação que se choque contra um iceberg pode se danificar. O mais famoso iceberg da história afundou o Titanic, um navio que viajava no norte do oceano Atlântico, em 15 de abril de 1912. A lateral dele raspou no iceberg, que abriu buracos em seu casco. Em apenas três horas o navio atingiu o fundo do mar.

Depois da perda do Titanic, muitos países trabalharam juntos para criar a Patrulha Internacional do Gelo. Hoje, a guarda costeira dos Estados Unidos dirige a patrulha, que alerta as embarcações sobre icebergs que estejam flutuando nas rotas dos navios que passem pelo Atlântico.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.