A ilha da Reunião é um departamento (espécie de província) da França. Fica junto à África, no oceano Índico, e tem por capital a cidade de Saint-Denis. Seus 850.000 habitantes (estimativa de 2014) se distribuem por uma área de 2.520 km2.

Geografia

A ilha da Reunião fica cerca de 680 quilômetros a leste de Madagascar, um país constituído por uma grande ilha do sudeste da África. A Reunião tem muitas montanhas e alguns vulcões ativos. O clima é quente, com estações secas e chuvosas. São muito comuns as tempestades tropicais, com ciclones.

Flora e fauna

A ilha da Reunião tem muitas plantas que florescem e árvores tropicais frutíferas. A floresta tropical ocupa as áreas mais altas. Entre seus animais estão os camaleões, as rãs, os pássaros e as borboletas.

População

Grande parte da população da Reunião mistura raízes africanas, europeias e sul-asiáticas. Brancos e sul-asiáticos são grupos significativos. Há grupos pequenos de chineses e africanos.

O francês é a língua oficial e do governo, mas o crioulo é a língua cotidiana. O catolicismo é a principal religião. A maioria das pessoas vive em núcleos urbanos.

Economia

Os serviços, em especial o turismo, são o setor mais importante da economia da Reunião. A ilha também produz açúcar, rum e lagostas. Os agricultores cultivam cana-de-açúcar, legumes, verduras, favas de baunilha, tabaco e gerânios, usados na produção de perfumes. A ilha da Reunião comercializa seus produtos principalmente com a França.

História

Navegantes portugueses descobriram a ilha em 1528, mas ninguém viveu nela até o século XVII, quando os franceses fundaram ali uma colônia. Eles levaram africanos para trabalhar como escravos em grandes fazendas onde se plantava unicamente café ou açúcar. Com a abolição da escravatura, em 1848, chegaram trabalhadores da Ásia.

A Reunião foi colônia francesa até 1946, ano em que ganhou o estatuto de departamento da França; sua população passou então a ter cidadania francesa.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.