As ilhas Falkland são rochosas e quase inteiramente desmatadas. Elas ficam 480 quilômetros a nordeste do extremo sul da América do Sul, porém são um território ultramarino da Grã-Bretanha. A Argentina também reivindica a posse das ilhas, que, para ela, têm o nome de Malvinas. A capital do território é Stanley.

Geografia

O arquipélago é formado por duas ilhas principais — Falkland Ocidental e Falkland Oriental — e por cerca de duzentas ilhas menores, na parte sul do oceano Atlântico. Há colinas no norte de ambas as ilhas principais. O clima é frio, chuvoso e ventoso.

Flora e fauna

Grande parte do território é coberta de pastos. Focas e leões-marinhos se aquecem nas praias, enquanto golfinhos e baleias nadam ao largo. Albatrozes e outras aves marinhas planam nos ares. Milhões de pinguins se reproduzem nas ilhas.

População e economia

Nas ilhas há uma população de 2.563 pessoas (censo de 2012). Quase todas elas falam a língua inglesa e têm ancestrais britânicos. A maior parte mora em Stanley, a única cidade. As principais ocupações econômicas são a pesca e a criação de ovelhas. O turismo também é importante para a economia.

História

A história conhecida das ilhas Falkland tem início com as visitas dos exploradores europeus no século XVII. Em 1764, os franceses fundaram os primeiros assentamentos das ilhas na Falkland Oriental. Em 1765, os britânicos se estabeleceram na Falkland Ocidental. Os espanhóis logo tomaram esses assentamentos. Os britânicos voltaram em 1771, mas foram embora em 1774.

A Argentina — o país sul-americano mais próximo do arquipélago — reivindicou as ilhas em 1820. Em 1833, no entanto, os britânicos as retomaram. A Argentina nunca aceitou o domínio britânico. Em 2 de abril de 1982, os argentinos invadiram as ilhas, desencadeando o conflito conhecido no Brasil como Guerra das Malvinas. Os britânicos os derrotaram dez semanas depois. Apesar da derrota, a Argentina continua a reivindicar o território.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.