Ao longo da história, muitos países quiseram controlar ou dominar territórios além de suas fronteiras. Essa prática é chamada imperialismo, e os territórios que eles controlam recebem o nome de império. Às vezes, o líder de um império é chamado imperador. Os países constroem impérios principalmente para conseguir poder ou riqueza.

A construção de impérios

Às vezes, um governante ergue um império exercendo o domínio sobre territórios próximos. Na Antiguidade, o Império Romano foi um dos mais conhecidos desse tipo. Os romanos espalharam seu poder da cidade de Roma até territórios na Europa, no norte da África e na Ásia ocidental.

Um império também pode consistir em territórios distantes do país que os controla. Às vezes, um país envia pessoas para viver em outras terras, no exterior. Os assentamentos que elas estabelecem são chamados de colônias. No século XVII, por exemplo, a Inglaterra mandou pessoas para a América do Norte com a finalidade de instalar colônias no leste do continente. Elas acabaram se transformando nos Estados Unidos.

Às vezes, em vez de mandar muitos colonizadores, o país envia apenas algumas pessoas para administrar o novo lugar. Esses países também costumam ser chamados de colônias. No século XIX, por exemplo, os países europeus tomaram posse da maior parte da África. Na maioria dos casos, apenas um pequeno número de europeus foi para a África. Eles instalaram empresas, controlaram o comércio e frequentemente obrigaram os africanos a trabalhar para eles.

Consequências dos impérios

O imperialismo teve grande influência na história mundial, pois levou à descoberta e ao desenvolvimento de novas terras. Potências imperiais construíram coisas novas como estradas, escolas e hospitais. O imperialismo também difundiu conhecimento e cultura. Em muitos lugares que outrora foram colônias, as pessoas falam a língua dos colonizadores. As religiões das potências coloniais também são comuns nas ex-colônias. Por exemplo, durante a colonização da América, os ingleses e espanhóis difundiram o cristianismo entre os nativos.

O imperialismo também teve muitas consequências negativas. As potências imperiais mataram muitos povos nativos em guerras de conquista ou obrigaram os habitantes das regiões dominadas a trabalhar por salários baixos ou como escravos. E muitas vezes também levaram as pessoas a abdicar de seu modo tradicional de vida.

História

Os fenícios estiveram entre os primeiros colonizadores. Cerca de 3 mil anos atrás, instalaram postos comerciais ao longo da costa leste do mar Mediterrâneo, no norte da África, na Anatólia (atual Turquia) e em Chipre. Mais tarde, assírios, persas, gregos e romanos tiveram impérios na região. O Império Romano abrangia desde a Grã Bretanha até o Egito.

O imperialismo também ocorreu na Ásia. O primeiro império da India foi estabelecido no século IV a.C. Na China, a dinastia Qin criou o império em 221 a.C.

Após a queda do Império Romano no século V d.C., nenhum país europeu foi suficientemente forte para estabelecer colônias. Entre o século VII e o XIII, os árabes construíram um império na Ásia, no norte da África e na Espanha. Eles difundiram sua religião, o islamismo, nos lugares que conquistaram.

No fim do século XV, os exploradores europeus atravessaram pela primeira vez o oceano Atlântico, chegando à América. Isso deu início a uma grande era de explorações. Logo os países europeus começaram a conquistar terras na América, na India e nas Indias Orientais. Inglaterra, França, Espanha, Portugal e Países Baixos (Holanda) tiveram muitas colônias.

A maioria das colônias na América conquistou a independência entre 1776 e 1826. Ao mesmo tempo, os países europeus começaram a construir impérios na África. Na década de 1880, as potências europeias dividiram quase toda a África entre elas.

No Brasil existiu um império que se iniciou com a Independência, em 7 de setembro de 1822, e terminou com a proclamação da República, em 15 de novembro de 1889. Durou, portanto, pouco mais de 67 anos. Na maior parte desse período, o Brasil foi governado por imperadores, também chamados de “monarcas”. Havia um parlamento, formado por deputados e senadores, para discutir e aprovar leis, entre outras funções. E o Brasil passou a ter uma Constituição. Por isso, costuma-se dizer que o Brasil Império foi uma “monarquia parlamentar constitucional”.

No fim do século XIX e no começo do XX, os Estados Unidos e o Japão tornaram-se potências coloniais. Os Estados Unidos assumiram o controle de ilhas no mar do Caribe e no oceano Pacífico. O Japão conquistou territórios no leste da Ásia. O imperialismo do Japão, da Itália e da Alemanha na década de 1930 levou à Segunda Guerra Mundial. Após a guerra, a União Soviética construiu um império no leste da Europa.

Os grandes impérios do passado não existem mais. Entre 1945 e 1990, cerca de 100 colônias conquistaram a independência. Às vezes isso aconteceu pacificamente, com as potências coloniais se retirando em paz. Outras vezes a população das colônias lutou pela independência.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.