O judô é uma luta de origem japonesa relacionada à arte marcial chamada jiu-jítsu. Os praticantes confrontam-se fisicamente por meio de vários golpes, tanto em pé como no chão. Em japonês, ju quer dizer “suave” e do quer dizer “caminho”. O judô, portanto, é o “caminho suave”. O atleta que pratica judô chama-se judoca.

O esporte

Para praticar esse esporte, os atletas vestem o quimono, ou judogui, composto por calça e roupão amarrado por uma faixa na cintura. No caso das mulheres, debaixo do roupão deve ser usada uma camiseta. A calça fica 5 centímetros acima do tornozelo. O judô só pode ser praticado sobre o tatame, uma espécie de colchão duro, feito de palha de arroz trançada ou de outra fibra vegetal ou sintética, coberto por uma lona.

Pela cor da faixa é possível reconhecer o grau de habilidade do judoca. No judô (assim como em outras artes marcias), os praticantes são classificados em não graduados (mudanhsa) e graduados (yudansha). Para os judocas não graduados, as faixas evoluem nesta ordem: branca, cinza (apenas para praticantes até 15 anos), azul, amarela, laranja, verde, roxa e marrom. Ao conquistar a faixa marrom, o judoca torna-se um yudansha. Para essa categoria, as faixas são a preta, a coral (vermelha e branca) e a vermelha. As categorias por peso vão do superligeiro (até 45 quilos, para as mulheres, e 56 quilos, para os homens), passando por ligeiro, meio-leve, leve, meio-médio, médio, meio-pesado, até o pesado (acima de 72 quilos, para as mulheres, e acima de 95 quilos, para os homens).

Para que um judoca vença no tatame, há três requisitos indispensáveis: estabilidade mental, perfeição técnica e impulso físico. O judô tem muitos golpes e contragolpes. Em pé, os lutadores se lançam um contra o outro. No chão, podem ocorrer imobilizações e chaves de braço e de pescoço. Se um lutador é derrubado de costas no chão, significa que ele perdeu o jogo. O ponto marcado pela queda de costas perfeita é chamado ippon. Se a queda não for perfeita, marca-se apenas meio ponto, chamado wazari. Dois wazaris equivalem a um ippon. Para acompanhar as lutas, um juiz se coloca no centro e outros dois nas laterais. São eles que decidem a pontuação de cada golpe.

História

O judô surgiu no fim do século XIX, e sua criação é atribuída a Jigoro Kano. Kano ganhava a vida como educador, mas dedicou-se intensamente ao estudo das artes marciais, especialmente do jiu-jítsu. Após praticar essa luta por muito tempo, ele buscou criar uma nova técnica voltada não à força, mas ao equilíbrio, à arte da queda e à educação tanto do corpo quanto da mente. Para isso, selecionou determinados golpes do jiu-jítsu, eliminando aqueles mais perigosos, e criou um código de conduta moral contendo oito princípios: cortesia, coragem, honestidade, honra, modéstia, respeito, autocontrole e amizade. Por volta de 1882, Kano abriu sua própria escola, em Tóquio. Mais tarde, viajou para vários países, ajudando a difundir a luta mundo afora. Em 1902, o judô já era relativamente conhecido nos Estados Unidos. Anos depois, chegou à América Latina pelas mãos de Mitsuya Maeda.

Foi Maeda quem introduziu o judô no Brasil, por volta de 1922, porém a prática só se consolidou no país a partir do final de década de 1930. A Confederação Brasileira de Judô foi fundada em 1969. O esporte passou a fazer parte dos Jogos Olímpicos em Tóquio, em 1964. O torneio feminino entrou no programa olímpico somente em Barcelona, em 1992. O judô já trouxe várias medalhas olímpicas para o Brasil, dentre elas três de ouro, com Aurélio Miguel (1988), Rogério Sampaio (1992) e Sarah Menezes (2012).

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.