A língua é um órgão, ou parte do corpo, que fica dentro da boca. Ela é constituída de um grupo de músculos. A maioria dos vertebrados, ou animais com coluna vertebral, tem língua.

A língua está firmemente presa à parte de baixo da boca. Essa ligação evita que a língua seja engolida. A parte de baixo da língua de um mamífero é lisa. A parte de cima é rugosa e irregular. Essas irregularidades são chamadas papilas gustativas. As papilas gustativas contêm botões gustativos. Elas também produzem alguns dos fluidos que formam a saliva, o líquido pegajoso que mantém a boca úmida.

Comer e sentir os sabores

Para muitos animais, a língua ajuda a mastigar e a engolir os alimentos. As papilas ajudam a manter o alimento dentro da boca. Os músculos da parte da frente da língua distribuem a comida entre os dentes durante a mastigação. Os músculos de trás ajudam a engolir. Eles empurram a comida para o fundo da boca e garganta abaixo.

A língua também é responsável pela percepção dos sabores, ou seja, o sentido do paladar. Os botões gustativos contêm células especiais que mandam informações sobre os alimentos para o cérebro. Cada grupo de células especiais responde a um tipo diferente de sabor. Os seres humanos sentem cinco sabores básicos: salgado, doce, azedo (ácido), amargo e umami. O umami representa o sabor de certas substâncias químicas chamadas aminoácidos. As pessoas nascem com cerca de 10 mil botões gustativos. Conforme envelhecemos, esse número pode cair até 5 mil. Essa queda pode explicar por que algumas crianças não toleraram o sabor de alguns alimentos, principalmente os amargos, já que elas sentem os sabores mais pronunciados.

Outras funções

A língua tem outras funções. Ela desempenha importante papel na fala. Também dá forma aos sons que compõem um idioma.

Os cachorros e os gatos usam a língua para se limpar. Os sapos usam-na para pegar insetos e outros animais pequenos que lhes servem de alimento. As cobras e outros répteis agitam a língua fora da boca para coletar odores no ar.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.