O líquen é composto de dois minúsculos seres vivos: um fungo e uma alga, que se beneficiam dessa união. A alga produz alimento e o fungo recolhe a água. O líquen consegue sobreviver em condições adversas que a alga ou o fungo isolados não poderiam suportar. Essa associação entre a alga e o fungo é chamada de simbiose.

Existem por volta de 15 mil espécies de liquens, que são encontrados em quase todo o planeta. Eles estão presentes em lugares nos quais poucas plantas conseguem sobreviver, como os desertos, as regiões polares e as áreas próximo ao topo de montanhas. O líquen cresce em pedras, em troncos de árvores, na madeira e no solo.

A maioria dos liquens mal chega a 6 milímetros de altura. Por outro lado, alguns se alastram a ponto de formar forrações de vários metros de comprimento. A aparência dos liquens é bem variada: há os que têm aspecto de crosta, os que parecem folhas, os que formam cordões e até os que lembram pequenas florestas. A cor varia do marrom ao laranja ou amarelo.

Algumas espécies de líquen servem de alimento para renas e até para seres humanos. Outras são usadas na fabricação de diversos produtos, como corantes e remédios.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.