Os lagartos pertencem ao grupo de animais chamados répteis e têm o corpo coberto de escamas em lugar de pelos ou de penas. Existem mais de 3 mil espécies, ou tipos, de lagartos que incluem iguanas, camaleões e lagartixas.

Onde vivem os lagartos

Os lagartos são animais de sangue frio. Por isso, a maioria deles procura lugares quentes para viver. Muitas espécies habitam regiões tropicais úmidas ou desertos secos. Os lagartos vivem debaixo da terra, sobre o chão ou em árvores e plantas. Algumas espécies passam parte do tempo na água.

Características físicas

Os lagartos variam mais de tamanho e de forma que qualquer outro grupo de répteis. Alguns não medem mais que 5 centímetros. O maior lagarto de todos, o dragão-de-komodo, pode chegar a 3 metros de comprimento. A maioria dos lagartos possui quatro pernas fortes. Alguns, porém, não têm pernas; são parecidos com cobras e frequentemente confundidos com elas. A diferença é que eles têm pálpebras e aberturas auriculares, isto é, orelhas. Geralmente também têm cauda longa.

A maioria dos lagartos tem o corpo coberto por escamas secas. As escamas são pequenas placas lisas ou rugosas, normalmente marrons, verdes ou cinzentas.

Muitos lagartos possuem características singulares. Alguns têm chifres ou espinhos. Outros têm uma placa óssea em volta do pescoço. Essas características os ajudam a amedrontar seus inimigos e a mantê-los a distância. Algumas espécies possuem pregas de pele adicional nas laterais do corpo; quando os lagartos as abrem, como se fossem asas, conseguem planar de uma árvore para outra.

Dois tipos de lagartos são venenosos: o monstro-de-gila, que é muito vistoso e vive no sudoeste dos Estados Unidos, e o lagarto-de-contas, do México. O veneno deles é forte o suficiente para matar uma pessoa.

Comportamento

A maioria dos lagartos é ativa durante o dia e repousa à noite. As lagartixas, porém, geralmente são ativas do anoitecer até o raiar do dia. Os diferentes tipos de lagarto se locomovem de maneiras diversas. A maioria corre sobre quatro pernas, mas alguns correm mais velozmente sobre as patas traseiras, levantando a parte da frente do corpo. Os lagartos sem pernas se locomovem do mesmo modo que as serpentes.

Muitos lagartos conseguem mudar sua coloração escura e discreta por uma cor mais viva e forte. Fazem isso quando tentam atrair um lagarto do sexo oposto ou assustar outro animal. Para alguns deles, a mudança de cor é um meio de comunicar-se com outros lagartos. A temperatura e a luz também afetam as mudanças de cor.

Os lagartos passam boa parte do tempo procurando alimento. A maioria deles se alimenta de insetos, mas alguns comem sementes e plantas. Os lagartos podem escavar a terra em busca de alimento, mas também podem aguardar sua presa se aproximar e então avançar de repente para agarrá-la.

A maioria dos lagartos foge de seus inimigos, mas às vezes é impossível evitá-los. Quando precisa enfrentar uma ameaça, o lagarto se infla de ar e fica ereto. Isso o faz parecer maior e mais assustador.

Muitos lagartos usam a cauda para escapar de seus inimigos. Ela se desprende do corpo quando é tocada e fica se retorcendo no chão. A cauda em movimento distrai a atenção do inimigo e, enquanto isso, o lagarto escapa. Geralmente uma cauda nova se desenvolve no lugar da que caiu.

Reprodução

A maioria dos lagartos se reproduz botando ovos. As fêmeas de quase todas as espécies botam vários ovos de uma vez, mas as de alguns tipos põem apenas um ou dois ovos. A casca deles é resistente, lembrando couro. Os lagartos costumam enterrá-los ou escondê-los debaixo de folhas. Em algumas espécies, as fêmeas ficam vigiando os ovos até eles eclodirem, mas a maioria dos lagartos abandona-os depois de botá-los. Poucos tipos de lagartos não botam ovos; nessas espécies, o ovo se desenvolve dentro da mãe, que dá à luz o filhote.

Os lagartos e os seres humanos

Em algumas partes do mundo, as pessoas comem lagartos grandes, como iguanas, ou, em caso de necessidade, até espécies menores, como os calangos. Muitos lagartos pequenos são úteis às pessoas porque se alimentam de insetos que são pragas.

As atividades humanas vêm ameaçando a sobrevivência de certas espécies de lagarto. A derrubada de árvores para criar espaço para construções destruiu o habitat de alguns desses répteis. Outro fator que reduz seu número é a captura e a venda de lagartos para servir de animais de estimação. O grande dragão-de-komodo da Indonésia, por exemplo, foi quase exterminado; hoje ele é protegido por lei.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.