Os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias são conhecidos como mórmons. A sede de sua religião fica em Salt Lake City, no estado de Utah, nos Estados Unidos. Seu principal livro sagrado é o Livro de Mórmon.

Crenças

Joseph Smith, o fundador da religião, acreditava que o cristianismo se desviara de suas crenças e práticas corretas. Ao criar o mormonismo, ele buscou restaurar a “verdadeira” Igreja cristã. Os mórmons compartilham a crença cristã de que Jesus veio à Terra para salvar a humanidade, mas o mormonismo difere da maioria das formas de cristianismo em muitos outros aspectos. Os mórmons, por exemplo, acreditam que a maneira como vivem afetará a possibilidade de serem salvos. Além disso, creem que os membros fiéis da Igreja acabarão por tornar-se deuses.

Práticas

Os mórmons praticantes frequentam regularmente os serviços religiosos em seus templos. Eles não devem consumir álcool, chá preto ou café, nem fumar tabaco. Os jovens são incentivados a passar entre um ano e meio e dois anos ajudando a difundir sua fé por meio de trabalho missionário.

Os mórmons se tornam membros da Igreja pelo batismo, uma cerimônia na qual recebem uma bênção com água. Os adultos também se submetem a batismo em nome de seus antepassados já falecidos que não foram mórmons, acreditando que isso permitirá aos antepassados ingressar no mais elevado reino eterno de Deus.

História

Joseph Smith declarou que em 1827 um anjo lhe entregara umas escrituras sagradas. Em 1830, ele publicou esses escritos com o título de Livro de Mórmon e começou a organizar uma nova Igreja.

Smith fundou comunidades religiosas nos estados de Ohio e Missouri, mas os habitantes do Missouri trataram os mórmons com hostilidade. Muitos deles foram para o estado de Illinois a fim de fundar uma nova cidade. Ali, a riqueza e o poder político dos mórmons atraíram a hostilidade de seus vizinhos. Em 1844, Joseph Smith foi preso, sendo assassinado na cadeia.

Pouco depois, Brigham Young tornou-se o presidente da Igreja. A violência crescente contra os mórmons o levou a conduzi-los em uma longa viagem até a região em que hoje é o estado de Utah.

Mas nem todos os mórmons aceitaram Brigham Young como líder. Alguns dos que o rejeitaram formaram outra Igreja, que hoje é conhecida como Comunidade de Cristo.

Em 1849, os mórmons de Utah pediram que a região recebesse o estatuto de estado. O governo dos Estados Unidos rejeitou o pedido, principalmente devido ao fato de os mórmons praticarem a poligamia (um homem ser casado com mais de uma mulher ao mesmo tempo). O mormonismo pôs fim à prática da poligamia em 1890. O território de Utah tornou-se estado em 1896.

Os missionários mórmons fizeram muitos convertidos durante o século XX. No ano 2000, a Igreja contava com cerca de 11 milhões de fiéis em todo o mundo.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.