A expressão “música clássica” tem vários sentidos. Muitas pessoas chamam de “tradicional” ou “clássica” a música antiga do seu país. Entretanto, no mundo ocidental, é costume utilizar essa expressão para se referir à música erudita.

A música erudita, ou música clássica, é diferente da música popular e da música folclórica. Ela é mais elaborada, mais complexa. Costuma ser escrita em partituras, que são folhas de papel pautadas em que se anotam as notas musicais, de modo que os músicos clássicos possam ler e decifrar o que está escrito nelas para tocar. Esses músicos não costumam improvisar, embora algumas vezes a partitura possa autorizá-los a fazer isso. “Improvisar” quer dizer criar música ou inventar variações da música enquanto se toca, a partir de uma base já estabelecida.

Instrumentos e formas

Quem escreve música clássica é chamado “compositor”. Os compositores compõem música para diferentes tipos de instrumentos. Ela pode ser escrita só para instrumentos de cordas, ou só para instrumentos de sopro, de teclado ou de percussão — ou ainda para uma combinação de vários tipos de instrumentos.

Geralmente são os compositores que decidem quais e quantos instrumentos vão tocar na obra musical que fizeram. Ela pode ser escrita para um único instrumento, para alguns, ou para um grande grupo. Esse grupo se chama orquestra.

História

A música clássica foi desenvolvida na Europa durante séculos e começou a ser escrita em partituras por volta do ano 1000. A partir de mais ou menos 1350, os compositores passaram a ser reconhecidos como artistas. A maioria da música clássica mais antiga era utilizada em cerimônias religiosas. Com o tempo, a música não religiosa, também chamada música profana, foi se tornando mais popular. Os músicos tocavam música clássica para divertir as cortes dos reis e dos nobres.

A música clássica foi ganhando corpo e se transformando rapidamente a partir do fim do século XVI até a metade do século XVIII. A orquestra moderna se formou nessa época. Os músicos também criaram novas formas de música clássica, como a ópera. Um dos maiores compositores desse período foi Johann Sebastian Bach (1685-1750).

Os especialistas em música chamam a época entre 1750 e 1820 de “era clássica”. Nesse período, os músicos desenvolveram uma série de formas musicais. Uma delas foi a sinfonia, que é uma composição musical longa para orquestra. Outra foi a música para quarteto de cordas — ou seja, uma composição musical para ser tocada por dois violinos, uma viola e um violoncelo. Entre os compositores importantes da era clássica estão Wolfgang Amadeus Mozart e Ludwig van Beethoven.

A música de Beethoven influenciou muitos compositores clássicos do século XIX, época em que a música era mais dramática e emocional. Entre os mais famosos compositores desse período estão Piotr Tchaikóvski e Johannes Brahms.

O século XX foi uma época de grande experimentação na música clássica. Os compositores criaram novas estruturas e até novos instrumentos. Por exemplo, os instrumentos eletrônicos abriram novas formas de expressão para compositores e músicos. Claude Debussy, Igor Stravinsky, Heitor Villa-Lobos e John Cage foram compositores importantes do século XX.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.