Os seres humanos sempre tiveram fascínio pelos macacos, uma vez que eles são criaturas interessantes e constituem uma fonte de conhecimento e estudo sobre a raça humana. Os macacos são animais inteligentes e sociáveis. São conhecidos por correr e saltar pelas árvores com facilidade. A exemplo dos antropoides (como são chamados os macacos sem rabo) e dos seres humanos, os macacos pertencem ao grupo de mamíferos chamados primatas.

Os macacos se parecem com os antropoides (chimpanzés, orangotangos e gorilas, entre outros), mas diferem deles em diversos aspectos. Por exemplo, todo macaco tem cauda, mesmo que seja apenas um coto. Os antropoides não têm rabo. Os macacos também têm o tórax mais estreito que os antropoides.

Há cerca de duzentas espécies de macacos. Os cientistas os dividem em dois grupos: do Novo Mundo e do Velho Mundo. Entre os macacos do Velho Mundo estão babuínos, mandris, resos, langures e cólobos. Entre os do Novo Mundo, contam-se saguis, bugios, macacos-aranha, macacos-barrigudos e macacos-prego.

Onde vivem os macacos

Os macacos do Velho Mundo são encontrados na África e em partes da Ásia. Os do Novo Mundo habitam as áreas tropicais da América Central e da América do Sul. Em geral, os macacos vivem em árvores nas florestas tropicais e equatoriais. Babuínos e outras espécies costumam viver no chão, em campos ou em áreas rochosas.

Características físicas

O tamanho dos macacos varia muito. O sagui-leãozinho mede apenas 14 centímetros, sem contar a cauda. Os maiores babuínos podem chegar a 1,15 metro.

Em geral, os macacos do Velho Mundo são maiores e têm nariz mais estreito que os do Novo Mundo. Os do Novo Mundo têm cauda longa. Algumas espécies usam a cauda para agarrar-se aos galhos. Por outro lado, algumas espécies do Velho Mundo têm apenas um coto no lugar do rabo.

Os macacos usam os quatro membros — duas pernas e dois braços — para se locomover. Os pés e as mãos servem para se agarrar aos galhos das árvores. A maior parte do corpo dos macacos é coberta de pelos. Alguns têm áreas peladas na face e nas nádegas. Mandris machos e outras espécies apresentam pele de cores vivas nessas áreas sem pelos. Na maioria dos macacos a cara é levemente achatada; no entanto, babuínos e mandris têm caras parecidas com as de cães, com focinhos proeminentes.

Comportamento

A maioria das espécies de macaco costuma ser ativa durante o dia. A espécie chamada de macaco-da-noite, como o nome indica, é ativa à noite.

Os macacos são animais inteligentes, com grande capacidade para a solução de problemas. Quase todas as espécies vivem em bandos. Um bando de macacos geralmente inclui várias fêmeas aparentadas entre si, seus filhotes e pelo menos um macho.

Os macacos comunicam-se entre si por meio de expressão facial, movimentos corporais e diversos ruídos. Os macacos-de-cheiro, por exemplo, emitem mais de 25 sons diferentes. Esses sons parecem-se com latidos, ronrons, gritos, pios e grasnados. Os berros graves dos bugios podem ser ouvidos a distâncias de 3 a 5 quilômetros.

Os macacos normalmente comem vegetais. Várias espécies comem frutas, flores, sementes, raízes e folhas. Alguns tipos de macaco também comem ovos de aves, insetos e pequenos animais.

Reprodução

O período de gestação das fêmeas de macaco varia de cinco a cerca de sete meses. Na maioria das espécies, a fêmea costuma ter um filhote por gestação. Os filhotes nascem indefesos e dependem enormemente dos pais durante a infância. Em geral, os jovens macacos ficam adultos aos 3 ou 4 anos de idade.

Sob ameaça

Muitas espécies de macacos estão ameaçadas de extinção, pois as árvores das florestas tropicais em que eles vivem estão sendo cortadas. Os macacos também são caçados por sua carne e por sua pele. Além disso, muitos são capturados e vendidos como animais de estimação.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.