O ímã é uma pedra ou um pedaço de metal que atrai certos tipos de metais para si. A força dos ímãs, chamada magnetismo, é uma força fundamental da natureza, como a eletricidade e a gravidade. O magnetismo atua a distância, o que significa que um ímã não precisa tocar um objeto para atraí-lo.

O que causa o magnetismo

Há muito tempo já se sabia que certo tipo de rocha, chamada magnetita, era um ímã natural. Quando os cientistas descobriram como o ímã funcionava, aprenderam a transformar outros metais em ímãs, isto é, a imantá-los.

O magnetismo ocorre quando pequenas partículas, chamadas elétrons, comportam-se de determinada maneira. Todos os objetos do universo são formados por elementos chamados átomos, os quais, por sua vez, são formados por elétrons e outras partículas (nêutrons e prótons). Os elétrons giram em torno do núcleo do átomo, que contém as outras partículas; ao girar, eles criam pequenas forças magnéticas. Algumas vezes, a maioria dos elétrons de um objeto gira na mesma direção e todas as pequenas forças magnéticas são somadas, transformando o objeto em um ímã.

É possível criar um ímã esfregando uma peça de metal em um ímã natural. A peça de metal precisa ser esfregada continuamente na mesma direção, de modo que seus elétrons comecem a girar numa mesma direção.

A eletricidade também pode criar ímãs, pois ela é um fluxo de elétrons. Ao se moverem ao longo de um fio, esses elétrons criam o mesmo efeito daqueles que giram em torno do núcleo do átomo. Esse tipo de ímã é chamado de eletroímã.

Ímãs permanentes e ímãs temporários

Devido à disposição dos seus elétrons, metais como o ferro, o aço, o níquel e o cobalto formam bons ímãs. Uma vez imantados (isto é, transformados em ímãs), permanecem ímãs para sempre e são chamados de ímãs permanentes. No entanto, esses e outros metais, após entrarem em contato com um ímã natural, podem agir como ímãs apenas durante certo tempo e depois perder suas propriedades magnéticas. Nesse caso, são chamados de ímãs temporários. A maioria dos outros materiais, como a água, o ar e a madeira, tem propriedades magnéticas muito fracas.

Propriedades dos ímãs

Os ímãs atraem objetos que contêm ferro, aço, níquel ou cobalto. Eles também atraem ou repelem (empurram para longe) outros ímãs permanentes. Isso ocorre porque todo ímã tem duas extremidades opostas, chamadas de polos: o polo norte e o polo sul. O polo norte de um ímã atrai o polo sul de outro ímã, mas repele seu polo norte. Da mesma forma, o polo sul atrai o polo norte, mas repele o polo sul.

A força magnética entre os dois polos do ímã cria um campo magnético, que é a área afetada por ele. Todos os ímãs são envolvidos por um campo magnético.

Usos

Uma das primeiras aplicações dos ímãs foi em bússolas. A bússola consiste em uma agulha imantada disposta de modo a girar livremente. O planeta Terra é um ímã gigantesco. Devido ao fato de o polo sul do ímã ser atraído pelo polo Norte da Terra, a agulha imantada aponta sempre para o norte.

Atualmente os ímãs são utilizados para diversas finalidades. Eles servem não só para prender recados na porta da geladeira, como para manter a porta da geladeira fechada. Estão presentes também nas tarjas magnéticas dos cartões de banco. Portas automáticas, alto-falantes e muitos motores elétricos usam eletroímãs.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.