O maiassaura era um dinossauro herbívoro de grande porte. O maiassaura está classificado como um membro da família de hadrossaurídeos, os dinossauros bico-de-pato, e é da ordem dos Ornithischia, os dinossauros com bacia semelhante à das aves.

Quando e onde viveu o maiassaura

O maiassaura viveu na América do Norte durante o período Cretáceo, cerca de 65 a 98 milhões de anos atrás.

Características físicas

A média do comprimento do maiassaura adulto era de 9 metros. Tinha bicos curtos, largos e sem dentes. Sua cabeça era baixa e relativamente plana, com uma pequena crista óssea entre os olhos. A cauda era longa e estreita na ponta. As patas traseiras eram mais longas do que as patas dianteiras.

Comportamento

Embora o maiassaura pudesse andar sobre duas patas, provavelmente andava nas quatro extremidades enquanto procurava comida. Quando era ameaçado por um predador, provavelmente fugia correndo nas patas traseiras.

Sua dieta era variada e pode ter incluído os frutos e sementes das plantas de florescência, bem como outras plantas, incluindo samambaias e coníferas.

Evidência fóssil

A descoberta do maiassaura em 1978 foi um dos achados mais extraordinários na paleontologia. Entre os fósseis de ninhos de dinossauro em uma área colinosa em Montana, os paleontólogos encontraram os restos de um maiassaura adulto, de vários dinossauros provavelmente jovens que mediam 91 centímetros de comprimento, e vários filhotes que mediam aproximadamente 51 centímetros. Também descobriram numerosos ovos intactos e muitas conchas quebradas, que os cientistas presumem foram pisoteados por filhotes. Os ovos pareciam ter sido colocados com muito cuidado, dispostos em círculos, e em camadas com terra ou areia de uma maneira que teria ajudado a incubar os ovos, assim como protegê-los dos predadores.

A evidência achada em Montana sugere que o maiassaura era um animal social. As mães chocavam os ovos e cuidavam de seus filhotes em berçários de dinossauro de grande porte. É devido a esse comportamento que o maiassaura ganhou o nome, que significa "lagarto boa mãe". As articulações dos membros inferiores dos bebês dinossauro não estavam suficientemente desenvolvidas para deixar o ninho por algum tempo após emergir dos ovos, tornando-os dependentes de seus pais para alimento e proteção.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.