O tempo, ou conjunto de condições atmosféricas, na Terra está em constante mutação. A meteorologia é o campo da ciência que estuda os fenômenos atmosféricos, com análises feitas diariamente para cada região específica. Os cientistas que estudam meteorologia são os meteorologistas. Usando diversas ferramentas de análise, eles são capazes de prever se vai chover ou nevar, ou se fará calor ou frio em um certo lugar. Já a climatologia é a ciência que estuda o clima — o conjunto de condições atmosféricas, em longos períodos de tempo, que caracterizam as diversas regiões da Terra.

Por que as mudanças no tempo acontecem?

O calor do Sol aquece de maneira diferente cada região da Terra, por isso alguns lugares costumam ser mais quentes e outros, mais frios. As diferenças de temperatura fazem os gases da atmosfera, o ar que envolve a Terra, ficar em movimentação contínua. Massas de ar quente e massas de ar frio deslocam-se e misturam-se com outras massas de ar. O ar sobe e desce, absorvendo e liberando energia. A rotação da Terra e as forças gravitacionais exercidas pelo Sol e pela Lua também têm influência sobre a forma como o ar se desloca. Essa movimentação constante é que cria o estado atmosférico que chamamos de tempo.

A importância da previsão do tempo

A meteorologia usa estudos de física e de química para descobrir que tipo de fenômeno atmosférico irá acontecer e a maneira como ele afetará a Terra. Essas previsões são extremamente importantes para muita gente. Elas podem dizer, por exemplo, quando um furacão vai se formar, permitindo que a população da região que será atingida se prepare para a tempestade. A previsão do tempo também é essencial para os agricultores e para pessoas que trabalham em agências de controle da qualidade do ar e nos setores marítimo, de aviação e de energia.

Instrumentos meteorológicos

Antes de os equipamentos meteorológicos serem inventados, os povos faziam a previsão do tempo com base em suas próprias observações. O desenvolvimento desses equipamentos tornou a previsão do tempo mais precisa. O barômetro (que mede a pressão atmosférica), o cata-vento (que indica a direção e a velocidade do vento) e o termômetro são alguns dos instrumentos meteorológicos mais antigos.

O telégrafo — aparelho de telecomunicações inventado no século XIX que transmite a distância mensagens escritas por meio de sinais — possibilitou aos cientistas coletar e analisar dados das mais diversas regiões do mundo. Assim, tornou-se possível obter informações de lugares distantes, como áreas remotas dos oceanos, dos desertos e das florestas tropicais. A nova tecnologia também permitiu aos meteorologistas estudar a camada superior da atmosfera acoplando equipamentos em balões, pipas e aviões.

Após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), o computador passou a ser outra importante ferramenta meteorológica. Os programas de computador usam cálculos matemáticos para criar padrões de tempo. Esses modelos são capazes de fazer a previsão do tempo para os dez ou trinta dias seguintes. A partir da década de 1960, os meteorologistas passaram a usar satélites para fotografar sistemas atmosféricos, como tempestades, por exemplo, em todo o planeta. Sensores presentes nos satélites enviam aos meteorologistas informações sobre o tempo. Novas tecnologias são desenvolvidas o tempo todo para tornar a previsão do tempo mais precisa, como os radares meteorológicos que monitoram o tempo na Terra. Além disso, os cientistas estudam também as mudanças atmosféricas de outros planetas.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.