Mitologia é o conjunto de histórias tradicionais, ou mitos, das culturas de todo o mundo. Muitos mitos datam da Antiguidade; são as histórias sobre como o mundo foi criado e como algumas coisas acontecem. Hoje a palavra “mito” é frequentemente usada para se referir a algo que não é verdade. Mas um mito não é apenas uma história inventada. Os mitos falam de deuses, herois e acontecimentos que um grupo acredita, ou acreditou em algum momento, ser real. Os mitos de uma cultura são quase sempre muito ligados à sua religião.

Antecedentes

Milhares de anos atrás, as pessoas não tinham as ciências para ajudá-las a entender a vida. Assim, por exemplo, elas não sabiam por que o sol nasce toda manhã ou por que as estações mudam. Os povos antigos viam a doença, a morte e as calamidades naturais, mas não sabiam o que as causava.

Assim, desenvolviam histórias e crenças próprias para explicar o mundo em redor. Esses mitos normalmente não eram escritos. Viravam histórias que uma geração ia contando para a outra.

Tipos de mito

Diferentes povos criaram diferentes explicações sobre o mundo. Mas todos os mitos nasceram tentando responder a algumas perguntas básicas para o ser humano: Como o mundo foi criado? Como começou a vida na Terra? Por que o mal existe no mundo?

Os mitos explicam de vários modos diferentes as origens da Terra. Muitas culturas acreditam que um deus todo-poderoso foi o criador do mundo. Por exemplo, um mito do povo polinésio diz que o deus Io formou o mundo a partir da água e da escuridão. Alguns mitos de índios americanos dizem que o mundo veio de debaixo da terra e se desenvolveu gradualmente, como uma criança nascendo.

Para explicar a origem dos seres humanos, uma história antiga da Índia fala de um ser chamado Eu. Quando Eu se sentiu solitário, dividiu-se em dois, criando o homem e a mulher. Seus filhos se tornaram a espécie humana. Muitos mitos da África ocidental dizem que os primeiros seres eram um par de gêmeos. Os sumérios, um povo antigo do Oriente Médio, acreditavam que o primeiro povo veio da argila. De acordo com seus mitos, o deus da água disse à sua mãe para ela moldar pedaços de argila na forma de pessoas.

Muitas culturas também têm mitos que explicam por que o mal existe no mundo. Por exemplo, um mito grego antigo diz que Pandora, a primeira mulher da Terra, abriu uma caixa para ver o que ela continha e então todos os tipos de sofrimento saíram de lá. Uma grande variedade de mitos explica as origens dos animais, das plantas e dos eventos da natureza.

Muitos outros mitos falam dos deuses, discutindo seu nascimento, seus poderes especiais e as vitórias sobre monstros ou inimigos. Muitas culturas também têm mitos sobre heróis de força ou inteligência espantosa. Por exemplo, mitos gregos antigos contam que o valente guerreiro Héracles (conhecido pelos romanos como Hércules) realizou doze tarefas quase impossíveis. Na China, diz-se que o herói chinês Yü salvou o país esvaziando a terra depois de uma colossal inundação.

Coletânea de mitos

Os egípcios antigos tinham muitos deuses. Alguns se pareciam com gente e outros, com animais. O deus Anúbis, que lembrava um cão, era o deus dos mortos. (ou Rê) era o deus do Sol. Durante algum tempo, um governante chamado Amenófis IV (ou Amenotep IV) determinou que o Sol fosse o único deus. Chamou-o de Aton e mudou seu próprio nome para Akhenaton, ou Ikhnaton. Mas, depois da sua morte, os outros deuses voltaram a ser adorados.

Os gregos antigos cultuavam doze deuses principais. Eles acreditavam que esses deuses viviam no monte Olimpo, onde Zeus reinava absoluto.

Os romanos antigos tomaram emprestada dos gregos grande parte da mitologia, dando nomes novos a muitos dos deuses gregos. Assim, por exemplo, Zeus passou a ser conhecido como Júpiter.

A mitologia nórdica desenvolveu-se há muito tempo no norte da Europa. Seu principal deus era Odin. Ele e os outros deuses viviam em Asgard, onde havia um palácio chamado Valhala. Depois de morrer lutando numa batalha, os guerreiros humanos eram levados para Valhala por guerreiras chamadas Valquírias.

Os índios da América também criaram seus mitos para entender a natureza em que viviam. Algumas tribos têm xamãs, que os índios acreditam serem pessoas que fazem a intermediação dos seres humanos com o mundo dos espíritos. Segundo o xamanismo, o Sol, a Lua, o rio, o vento, as pedras e o homem têm, cada um, capacidade específica para sanar o mal. Um dos mitos mais antigos do Brasil indígena é Anhangá, uma alma errante (em idioma tupi, ang) que vagava pelos campos assumindo diferentes formas, a mais comum delas sendo um veado. Ele deixava os índios apavorados.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.