Um motor é o que dá impulso a uma máquina ou a um mecanismo e o coloca em movimento. Há vários tipos de motor, e entre eles se destaca, pela importância, o motor de combustão interna.

Motor de combustão interna é aquele que funciona pela queima de algum combustível em seu interior. Os motores de combustão interna movem carros, aviões, colheitadeiras e outras máquinas. Combustão significa “queima”, e o combustível utilizado geralmente nos motores desse tipo é a gasolina. Comparado aos primeiros motores a vapor, os motores de combustão interna são mais leves e mais potentes e graças a eles surgiram os automóveis.

Como funcionam os motores de combustão interna

Em muitos motores de combustão interna, uma peça móvel chamada pistão move-se para cima e para baixo, dentro de um cilindro. A maioria dos carros tem motores com quatro a oito cilindros. Válvulas no topo do cilindro deixam entrar o ar e o combustível e expulsam do motor os gases queimados. Também no topo dos cilindros há uma vela de ignição, que produz as faíscas que, por sua vez, incendeiam o combustível.

Quando o motor está em funcionamento, executa um ciclo de quatro tempos: aspiração, compressão, combustão e exaustão. Durante a aspiração, uma válvula abre-se e o cilindro recebe ar e combustível. A seguir, na compressão, o pistão move-se em direção ao topo do cilindro e cria compressão, espremendo ar e combustível num espaço cada vez menor, com ambas as válvulas fechadas. Quando o pistão não consegue mais subir, a vela emite as faíscas que incendeiam o combustível. Então, durante a combustão (também chamada potência), a explosão causada pela queima do combustível força o pistão de volta para baixo. Durante a exaustão, a segunda válvula abre-se e o pistão volta a subir, empurrando os gases queimados para fora do cilindro.

O pistão é ligado a uma peça do motor chamada virabrequim, montada fora do cilindro. Conforme o pistão se movimenta, o virabrequim gira. O virabrequim é ligado a outros componentes que movimentam a máquina.

Há outros tipos de motores de combustão interna: de dois tempos, a diesel, rotativos e de turbinas. Os motores de dois tempos funcionam com um ciclo de dois tempos em lugar de quatro. Nos motores a diesel, a queima do combustível é obtida através do ar quente e não pelas faíscas de velas. Motores rotativos possuem peças que giram no seu interior e não cilindros. Os motores de turbinas, usados em aviões a jato, puxam ar constantemente para dentro, pela parte frontal. A exaustão desse ar é feita pela parte de trás da turbina.

Embora os motores de combustão interna sejam potentes, boa parte da energia gerada pela queima do combustível é perdida em forma de calor. Os motores precisam ser refrigerados com água ou ar para evitar o superaquecimento.

História

Em 1860, o inventor francês Étienne Lenoir construiu o primeiro motor de combustão interna, que usou em um carro. Em 1876, o engenheiro alemão Nikolaus Otto construiu um motor de quatro tempos. A invenção de Otto foi o primeiro motor de combustão interna a ser bem-sucedido. Rudolf Diesel, outro engenheiro alemão, desenvolveu o motor a diesel por volta de 1890.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.