Um oceano é uma massa imensa de água salgada. Os oceanos cobrem cerca de 71 por cento da superfície da Terra e contêm quase 98 por cento de toda a água do planeta.

Há cinco oceanos na Terra: o Pacífico, o Atlântico, o Índico, o Ártico e o Antártico. Como não existem limites reais, a água flui livremente entre eles. Partes menores desses oceanos são conhecidas pelos nomes de mar, golfo e baía.

A água dos oceanos

A água dos oceanos é salgada. A salinidade se deve à substância química chamada cloreto de sódio nela existente, em maior ou menor concentração conforme a região. (O sal que usamos como tempero é cloreto de sódio em forma de cristais.)

Ventos e outras forças da natureza mantêm a água dos oceanos em constante movimento. Assim se formam as correntes oceânicas, as marés e as ondas.

Grandes quantidades de água oceânica se movimentam pela Terra em padrões chamados correntes. As correntes oceânicas podem ser quentes ou frias. As quentes tendem a levar clima quente e chuva às terras próximas. A tendência das correntes frias é causar clima seco. Dentre as correntes que atuam na costa brasileira estão a corrente do Brasil, que é quente e se move para o sul, e a corrente das Malvinas, que é fria e se move para o norte. Na América do Norte, uma das principais correntes é a do Golfo, que é quente e segue na direção norte ao longo da costa leste dos Estados Unidos.

Os ventos também fazem a água dos oceanos se movimentar em ondas. Ventos fortes e constantes causam ondas grandes. Brisas suaves criam ondas pequenas. Em geral, grandes ondulações na água oceânica são consequência de tempestades.

Outro tipo de movimento dos oceanos são as marés, que fazem o nível da água subir e descer. Isso ocorre ao longo do dia. Em uma praia, por exemplo, o oceano cobre mais a areia na maré alta do que na baixa. A ação conjunta da força da gravidade da Terra, da Lua e do Sol causa as marés.

O fundo oceânico

O fundo oceânico tem muitos níveis. A parte mais rasa dos oceanos, chamada plataforma continental, fica ao longo das margens dos continentes. As bordas da plataforma continental descem em direção às partes profundas dos oceanos, ou bacias. No fundo das bacias existem grandes planícies abissais.

Em alguns pontos do fundo oceânico há rachaduras profundas chamadas fossas. Em outros locais, cadeias de montanhas submarinas se erguem do fundo. Às vezes, ocorrem terremotos ao longo das fossas e das cadeias. Partes dessas cadeias de montanhas têm vulcões ativos.

A vida nos oceanos

Há matérias vivas em todos os níveis dos oceanos da Terra. Plantas crescem bem perto da superfície da água, pois a luz solar é essencial para sua sobrevivência. A luz solar penetra na água apenas até cerca de 200 metros. As plantas oceânicas mais numerosas são os minúsculos fitoplânctons de apenas uma célula, que vagam com as correntes. Vários tipos de relva e outras plantas crescem nos oceanos. As algas marinhas também são abundantes.

Assim como as plantas, a maioria dos animais oceânicos vive em águas mais rasas, onde há mais plantas e animais para comer. Certos animais também vivem em águas profundas, inclusive nas fossas oceânicas mais fundas e escuras.

O maior animal dos oceanos é a baleia-azul, cujo tamanho é insuperável em comparação com os animais terrestres de hoje e de todas as épocas do passado. Os menores animais são uma forma de plâncton chamada zooplâncton. Centenas de milhares de outros tipos de animais também vivem nos oceanos, dentre eles mariscos, caranguejos, lulas, golfinhos e numerosas espécies de peixe. Embora pareçam plantas, corais e anêmonas-do-mar também são animais.

Importância dos oceanos

Os oceanos são parte importante da vida na Terra e uma grande fonte de alimentos para a população mundial. Eles fornecem ainda minerais, petróleo e gás natural. O fitoplâncton e as algas criam grande parte do oxigênio do mundo. Como armazenam o calor do sol, os oceanos também contribuem para a estabilidade climática.

Hoje, a saúde dos oceanos está ameaçada por vários perigos. As pessoas os poluem, jogando neles resíduos venenosos e lixo, o que reduz o oxigênio da água e ameaça a vida marinha. A pesca excessiva e os vazamentos de petróleo são outras ameaças para a vida marinha.

Profissionais chamados oceanógrafos estudam os oceanos, a fim de tentar mantê-los saudáveis. Alguns examinam a qualidade e os movimentos das águas. Outros analisam as estruturas das bacias e dos fundos oceânicos. Um grupo específico desses cientistas estuda as plantas e os animais que vivem nos oceanos.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.