O olfato é o sentido responsável pela percepção dos vários tipos de odores e tem relação direta com o processamento das emoções e com o armazenamento de lembranças.

O nariz é o órgão receptor de partículas presentes no ar e, ao inspirarmos, ocorre um estímulo nas células olfatórias, localizadas no fundo do nariz, que enviam informações para o cérebro pelo nervo olfatório. Quando isso ocorre, sentimos cheiro, que pode ser bom ou ruim, dependendo da partícula inalada. As células olfatórias são muito sensíveis, bastando apenas algumas partículas para que sejam estimuladas; quanto maior for o estímulo, maior será a percepção do odor.

O sistema olfatório detecta apenas um odor de cada vez e, no caso de vários cheiros ao mesmo tempo, dominará o mais forte. Porém, se todos tiverem a mesma intensidade, haverá uma oscilação entre os odores percebidos.

O olfato tem grande capacidade de adaptação. É por isso que, no momento em que somos expostos a um cheiro forte, a princípio a sensação é intensa, mas depois de alguns minutos torna-se menos perceptível e pode até desaparecer. Além disso, o olfato está muito ligado ao paladar. A língua é capaz de perceber apenas cinco tipos de sabor, enquanto o nosso olfato pode distinguir mais de 10 mil odores. Portanto, 80 por cento do que chamamos de gosto vem do olfato. Essa relação é muito simples de ser observada quando estamos gripados e o nariz está congestionado. Nessa situação, perdemos o paladar. Assim, uma das funções do olfato é tornar mais agradável o ato de comer, garantindo o combustível para alimentar as células.

O olfato humano não é tão desenvolvido quanto o de outros animais. Os cães, por exemplo, usam o olfato para encontrar alimento, para escolher um parceiro para o acasalamento ou para diferenciar os amigos dos inimigos. Muitos animais secretam substâncias químicas especiais chamadas feromônios, que servem para facilitar a comunicação entre eles.

O olfato das serpentes ocorre pelas duas pontas da língua, que captam partículas do ar; quando a língua é posta para dentro, as partículas são levadas até o cérebro através de dois furos no céu da boca. Os tubarões têm o olfato extremamente apurado e são capazes de detectar uma gota de sangue no oceano a uma distância de 300 metros. Alguns mamíferos aquáticos como os golfinhos e as baleias não têm o olfato desenvolvido e praticamente não sentem cheiro.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.