Inúmeras espécies, ou tipos, de árvores são chamadas de olmos. Elas pertencem à família de plantas chamadas ulmáceas. Em certas cidades dos Estados Unidos e de alguns países havia um grande número de olmos, mas, durante o século XX, uma praga matou muitos deles.

Os olmos são comuns principalmente no hemisfério Norte. Há cerca de dezoito espécies diferentes. Na América do Norte há o olmo-americano, o olmo-vermelho, o olmo-canadense e o olmo-alado; na Europa, o olmo-inglês, o olmo-escocês e o olmo-holandês; na Ásia, o olmo-siberiano e o olmo-chinês.

Em geral, os olmos atingem de 15 a 20 metros de altura, mas alguns tipos podem alcançar 30 metros. As folhas são dentadas, ou seja, serrilhadas nas bordas. As flores não têm pétalas e crescem em cachos pendentes. Os frutos, chamados sâmaras, são achatados e ovoides, cada um com uma semente.

O hábito de plantar olmos se deve geralmente ao fato de crescerem rápido e proporcionarem boa sombra. Sua madeira é usada para fazer barcos, casas de fazenda ou móveis. Há muito tempo sua casca tem uso na medicina natural.

A chamada doença do olmo-holandês atacou e matou muitas espécies europeias e norte-americanas. Ela é causada por um fungo transportado por besouros. Os olmos da Ásia são mais resistentes a esse fungo.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.