O ouro é um elemento químico metálico e precioso valorizado pelos seres humanos há bastante tempo. Ele é encontrado na natureza na forma pura, o que permitiu aos primeiros povos descobri-lo e utilizá-lo. Por ter uma aparência bonita, o ouro é usado para fazer joias e decorar obras especiais. Como é valioso, as pessoas também já o utilizaram como dinheiro, na forma de moedas. Os cientistas usam símbolos para representar os elementos químicos. O símbolo do ouro é Au.

Onde o ouro é encontrado

O ouro aparece incrustado em rochas no mundo inteiro, mas na maioria dos casos o volume é tão pequeno que não é visível. Por isso, extraí-lo da rocha não é fácil. Muitas vezes o ouro encontra-se em rochas que também têm cobre e zinco. Nesses casos, é extraído junto com esses elementos.

Em determinadas áreas, o ouro pode ser encontrado em depósitos maiores. Eles ocorrem onde a rocha no entorno foi gasta ao longo dos anos. Às vezes, o ouro é empurrado para riachos ou rios, onde fica visível. É provável que isso tenha possibilitado aos primeiros povos descobrirem-no. Esse fenômeno também provocou, ao longo da história, diversas corridas do ouro. A descoberta desse metal em locais como Minas Gerais (no Brasil), Califórnia (nos Estados Unidos), Austrália e o território de Yukon (no Canadá) atraiu muitas pessoas que desejavam obter ouro para si próprias. No início do século XXI, África do Sul, Estados Unidos, Austrália, China e Peru são os maiores produtores de ouro.

Propriedades

O ouro é muito macio. Ele pode ser reduzido a lâminas finas e moldado em diversos formatos. Também é um bom condutor de eletricidade.

Usos

Desde a Antiguidade, o ouro é utilizado para produzir lindas peças. Muitas delas estão preservadas e podem ser apreciadas nos museus. Hoje em dia, o ouro costuma ser usado para fazer joias, puro ou misturado com outro metal. Essas combinações de metais são chamadas de ligas. Entre os metais usados para produzir ligas de ouro estão a prata, o cobre e o zinco. O volume de ouro nesse tipo de joalheria é descrito em 24 partes, chamadas quilates. Uma liga de ouro de 12 quilates, por exemplo, tem 50 por cento de ouro. O ouro puro tem 24 quilates.

Por ser um bom condutor de eletricidade, o ouro é utilizado na indústria eletrônica. Películas finas de ouro podem refletir um grande volume de radiação solar, por isso são usadas nos satélites, para controlar a temperatura, e no visor de trajes espaciais, por causa da proteção que garantem. Também são utilizadas no revestimento das janelas de grandes edifícios de escritórios, a fim de controlar a temperatura interna.

O ouro também já foi usado como dinheiro. Na Antiguidade, era empregado na forma de moedas. Hoje a maior parte do dinheiro é feita de outros materiais, mas os governos e os bancos mantêm grandes volumes de ouro em barras. Ele é guardado em cofres, de maneira segura, e sua posse demonstra que o país tem dinheiro suficiente para operar. Em geral esse ouro não é usado, mas pode vir a ser empregado para pagar dívidas com outros países.

Ouro no Brasil

Portugueses e espanhóis desembarcaram no continente americano no século XV, em busca de metais preciosos que aumentassem o poder dos reis e ampliassem o comércio de especiarias e manufaturados no mundo todo. Até o século XVIII, a riqueza de uma nação era medida pela quantidade de metais preciosos guardados no cofre da Coroa. Por isso, a exploração do território americano dava a possibilidade de enriquecimento para as monarquias envolvidas nessas conquistas.

No Brasil, as primeiras descobertas de ouro foram feitas na região de Minas Gerais, no final do século XVII, durante o periodo colonial. A participação dos bandeirantes — sertanistas paulistas que penetravam novos territórios atrás de riquezas minerais e de indígenas para escravizar — foi fundamental para essas descobertas. O ouro estimulou um novo ciclo de prosperidade econômica nos negócios coloniais. O auge do Ciclo do Ouro aconteceu no século XVIII e foi baseado no trabalho escravo dos negros.

No final da década de 1970 e no início da de 1980, o Brasil viveu outra corrida do ouro. Em Serra Pelada, uma região do estado do Pará, foi aberto o maior garimpo a céu aberto do mundo. A área atraiu multidões de pessoas interessadas em encontrar ouro e enriquecer. Trinta mil garimpeiros foram cadastrados pelo governo nessa empreitada.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.