País, ou nação, é um território grande ou pequeno controlado por um só governo. Países grandes, como a Austrália, o Brasil, o Canadá, a China, a Rússia e os Estados Unidos, se estendem por milhões de quilômetros quadrados. O menor país do mundo é o Vaticano, com menos de 1 quilômetro quadrado.

Organização administrativa

O território de um país não é necessariamente contínuo. O Alasca e o Havaí, por exemplo, são separados dos outros 48 estados dos Estados Unidos, mas integram o país. Alguns países são compostos por grupos de ilhas, como no caso da Indonésia e das Filipinas.

Em certos países, quase toda a população pertence a um único grupo étnico. Essas pessoas são unidas pela história e pela cultura compartilhadas em comum, como ocorre na Dinamarca, na Noruega e na Suécia. Outros países, porém, são compostos por muitas etnias diferentes. Com exceção dos índios, países como o Brasil, a Argentina e o México, por exemplo, são formados por imigrantes, ou pessoas que vieram de outros países. A China e a Índia, cada qual com mais de 1 bilhão de habitantes, têm diversos grupos étnicos.

A maioria dos países se divide em partes menores chamadas estados ou províncias. Cada estado tem seu próprio governo. As leis do governo do país afetam todos os seus habitantes. As leis de um governo estadual afetam apenas a população daquele estado.

Quase todos os países pertencem à Organização das Nações Unidas (ONU), que tenta resolver de forma pacífica as divergências entre nações. A sede da ONU é na cidade de Nova York.

História

Durante grande parte da Antiguidade, o Império Romano foi o sistema político mais abrangente. Depois de sua queda, o mundo ocidental tornou-se uma civilização unida por lealdades, quer à Igreja Católica Romana ou às igrejas ortodoxas orientais. No Oriente Médio e no norte da África, o islamismo reivindicou a lealdade da maioria das pessoas.

O surgimento do sentimento nacional foi incentivado nos primeiros anos da Idade Moderna (entre 1453 e 1789) com o estabelecimento de monarquias absolutas que afastaram as alianças religiosas e sociais da Idade Média(de 500 a 1500). A Reforma destruiu a unidade religiosa da Europa, e os estados tornaram-se cada vez mais secularizados. O crescimento do comércio e da indústria exigiu unidades territoriais maiores, com um governo forte, a fim de permitir as economias se desenvolverem rapidamente. Com a centralização do poder político surgiram as novas teorias sobre os direitos dos indivíduos e a soberania dos povos.

Durante o século XIX, o nacionalismo se espalhou pela Europa e América Latina. A Alemanha e a Itália se tornaram nações unificadas. Na América Latina, as revoluções anticolonialistas romperam os laços com a Espanha e Portugal. No século XX, o anticolonialismo foi a força motriz por trás dos movimentos nacionalistas na Ásia e na África. Depois da Segunda Guerra Mundial, as campanhas para a auto-determinação tiveram mais sucesso. No início do século XXI havia 193 nações independentes no mundo (segundo a ONU). Esse grupo não incluia o Vaticano e Kosovo.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.