Os lagos, rios, mares e oceanos são povoados por peixes de diversos tamanhos, cores e tipos. Os peixes surgiram na Terra há mais de 450 milhões de anos. Existem mais de 24 mil tipos de peixes, e novas espécies são descobertas a cada ano.

Onde vivem os peixes

Os peixes vivem em lagos, rios, mares e oceanos no mundo inteiro. Eles apreciam todo tipo de água, desde nascentes quentes até mares árticos gelados e lagos escuros em cavernas subterrâneas. Não conseguem, porém, viver em água extremamente salgada. O Great Salt Lake (Grande Lago Salgado), no oeste dos Estados Unidos, e o mar Morto, no sudoeste da Ásia, são exemplos de ambientes aquáticos em que os peixes não sobrevivem devido à grande quantidade de sal.

Características físicas

As numerosas espécies de peixes têm certas características em comum. Todos os peixes são vertebrados, ou seja, têm uma espinha dorsal. De sangue frio, sua temperatura corporal muda conforme a temperatura ao redor. Em geral, respiram por meio de órgãos chamados guelras e têm pares de nadadeiras, em vez de braços e pernas. A maioria dos peixes tem o corpo coberto de escamas.

Os tamanhos e a aparência, por outro lado, variam bastante. O minúsculo gobião pode medir menos de 13 milímetros. Uma espécie de tubarão, o tubarão-baleia, é o maior peixe que existe, chegando a medir 15 metros de comprimento e a pesar 20 toneladas. Peixes normalmente são mais espessos no meio do que nas extremidades. O linguado, porém, tem o corpo achatado feito um prato raso. O cavalo-marinho parece um cavalo apoiado na própria cauda. As enguias têm aparência semelhante à das cobras.

No decorrer de milhões de anos, alguns peixes desenvolveram características únicas, ou adaptações, que os ajudam a sobreviver. O diabo-marinho, por exemplo, tem sua própria “vara de pescar” para apanhar outros peixes. Uma parte estendida da nadadeira dorsal tem pedaços de carne na ponta, parecidos com minhocas, que são a “isca”. O diabo-marinho das regiões abissais tem uma isca luminosa para atrair vítimas.

Comportamento

Os peixes nadam principalmente com movimentos laterais do corpo e da cauda. As nadadeiras dão equilíbrio e direção e servem como freio. Para sair rapidamente de uma posição de descanso, alguns peixes expelem um jato de água pelas guelras, o que os impulsiona adiante. Os nadadores mais velozes, como o atum, são capazes de percorrer 48 quilômetros por hora.

Muitos peixes têm adaptações que os ajudam a se proteger dos inimigos. Alguns, por exemplo, têm manchas perto da cauda que parecem olhos. Assim, o predador pensa que está atacando a cabeça, quando na verdade está atacando a cauda, e o peixe consegue escapar rapidamente. Outros peixes mudam de cor e padrão para se confundir com o ambiente e se esconder.

A maioria dos peixes come outros peixes menores. Os peixes menores comem plantas aquáticas e animais minúsculos que formam o plâncton. Grandes quantidades de plâncton deslocam-se com o movimento das águas.

Reprodução

Todos os peixes nascem de ovos. Em geral, as fêmeas liberam ovos e os machos liberam esperma na água. Quando os ovos e o esperma se encontram, os ovos são fertilizados. Muitos ovos e filhotes são comidos por outros peixes. Para aumentar a chance de sobrevivência de sua cria, algumas fêmeas liberam até 1 milhão de ovos.

Alguns tipos de peixe tentam proteger seus ovos. A fêmea cava um ninho no fundo arenoso e ali desova. A fêmea do cavalo-marinho põe seus ovos em uma bolsa na barriga do macho, onde eles ficam até eclodir. Alguns bagres machos mantêm os ovos na boca.

Às vezes os ovos são fertilizados e permanecem no corpo da fêmea até o nascimento dos filhotes. Peixes que nascem dessa maneira têm mais chance de sobreviver. Os barrigudinhos e alguns tubarões dão à luz crias já desenvolvidas.

Relação com os seres humanos

Os peixes são muito importantes para as pessoas. Em muitos lugares, eles representam a principal fonte de alimento. São também mantidos como animais de estimação em aquários caseiros. A pesca é um esporte difundido no mundo inteiro. No entanto, a pesca excessiva feita por barcos comerciais vem reduzindo muito o número de certos peixes. Outra ameaça é a poluição.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.