O quero-quero (Vanellus chilensis) é uma ave da família dos caradriídeos. Seu nome é uma onomatopeia de seu canto — ao cantar, ele parece estar dizendo “quero, quero, quero”.

Onde vive o quero-quero

A área onde o quero-quero pode ser encontrado se estende desde a América Central até o extremo da América do Sul, na Terra do Fogo. No Brasil, é uma das aves mais populares, presente no país todo. Seu habitat são as áreas abertas de gramíneas, como pastagens, campos e gramados, inclusive em regiões litorâneas. É raro essas aves habitarem áreas de mata fechada.

Características físicas

O corpo do quero-quero tem em média 37 cm de comprimento. As principais cores de suas penas são o branco, o preto e o cinza. A plumagem preta é vista sobretudo em uma faixa que começa na testa, desce pela garganta e se alarga no peito. No topo das asas há algumas penas esverdeadas e acobreadas.

Além da íris vermelha, outras características que chamam a atenção nessa ave são um penacho no topo da cabeça e dois esporões pontiagudos e rosados, um em cada asa. Os esporões são um dos recursos de defesa do quero-quero.

Comportamento

Quero-queros defendem ferozmente seu território e são especialmente agressivos quando estão cuidando dos filhotes. Sempre que uma ameaça se aproxima, os pais emitem gritos de alerta. Ao ouvi-los, os filhotes sabem que devem permanecer abaixados, junto ao solo, para ficar menos visíveis. Os machos são capazes de fingir que estão com a asa quebrada; assim, buscam desviar a atenção do predador de cima dos filhotes e atraí-la para si, já que uma presa machucada é supostamente mais fácil de capturar. Quero-queros não se sentem intimidados pela presença humana e podem atacar qualquer pessoa que se aproxime demais de seus ovos ou de sua cria.

Dentre os animais que o quero-quero come estão insetos, crustáceos, moluscos e pequenos peixes. Às vezes, ele utiliza uma tática de captura parecida com a de certas garças, apoiando-se em uma perna e chacoalhando rapidamente a outra sobre o solo ou a água rasa, como se estivese “peneirando” a superfície para forçar a presa a vir à tona.

Reprodução

O quero-quero não faz ninho em árvores. Ele procura um buraco raso no chão e reúne um pouco de grama seca para formar uma base, sobre a qual os ovos são postos. De cor parda e com manchas pretas, os ovos se camuflam com o terreno à sua volta.

A época de reprodução do quero-quero ocorre na primavera e no verão. As fêmeas geralmente põem de três a quatro ovos, que demoram entre 21 e 30 dias para eclodir. Os filhotes saem do ovo cobertos de plumagem. No dia seguinte ao do nascimento já são capazes de caminhar e se alimentar sozinhos, embora no início os pais os orientem e os ajudem a encontrar comida.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.