A rã é um pequeno animal que pode pular muito bem. É parecida com o sapo, mas tem pele lisa e pernas longas, enquanto o sapo tem pele áspera e pernas mais curtas.

As rãs são encontradas no mundo todo, exceto em lugares muito frios. São mais comuns em florestas tropicais. As rãs são anfíbios, o que significa que podem viver tanto na água quanto na terra, embora costumem passar a maior parte da vida na água. Algumas vivem em buracos subterrâneos ou em árvores.

As rãs têm pele lisa e úmida e olhos grandes e salientes. Suas pernas de trás têm mais que o dobro do comprimento das pernas da frente. A maioria das rãs tem membranas natatórias nas patas de trás, para ajudá-las a saltar e nadar.

Há muitas rãs minúsculas, que podem ser menores que 2,5 centímetros. As maiores rãs têm cerca de 30 centímetros de comprimento. A maioria é verde, marrom, cinza ou amarela. Algumas têm cores chamativas.

A rã pega a presa chicoteando sua longa e pegajosa língua. Costuma se alimentar de insetos e vermes, mas há espécies que comem outras rãs, roedores e répteis.

Algumas glândulas na pele das rãs produzem veneno, mas esse veneno não as protege de cobras, pássaros e outros inimigos. Como defesa, elas costumam se camuflar no meio ambiente.

As rãs geralmente põem ovos na água. Elas podem pôr centenas ou até milhares de ovos. Em poucos dias, os ovos se transformam em girinos. Girinos são criaturas semelhantes aos peixes, que respiram por meio de guelras em vez de respirar pelo pulmão. Para se tornar uma rã adulta, o girino perde a cauda e desenvolve pulmão e pernas.

É importante diferenciar as rãs das pererecas. Embora ambas sejam anfíbios do grupo dos anuros, elas pertencem a famílias diferentes. A perereca é menor e tem discos viscosos na ponta dos dedos, que as ajudam a subir em superfícies verticais. O habitat das rãs são as lagoas, enquanto o das pererecas são os galhos das árvores. Alguns desses anfíbios estão na lista de animais em risco de extinção devido à poluição de rios e lagoas, ao uso de pesticidas e ao aquecimento global.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.