O Tâmisa é o principal rio da Inglaterra desde a época dos antigos romanos. Comparado aos grandes rios do mundo, ele não é nem grande nem caudaloso. Sua importância vem da grande civilização que surgiu em suas margens.

O Tâmisa nasce nos montes Costwolds, no centro da Inglaterra. De lá, serpenteia cerca de 338 quilômetros de oeste para leste. Depois de passar pela cidade de Oxford, ele corre pelos campos até chegar à cidade de Londres. Entre os muito marcos ao longo do Tamisa estão o Parlamento, a Catedral de São Paulo, a Torre de Londres e o Domo do Milênio, em Londres. O Tâmisa deságua no mar do Norte.

O vale do Tâmisa é habitado há milhares de anos. Antes que ferrovias e estradas boas fossem construídas, o rio era a principal rota do comércio na região. Ao longo do tempo, muitas indústrias se instalaram em suas margens.

Em 1858, o rio era tão poluído que se dizia que eram os tempos do “grande fedor”. Sessões do Parlamento tiveram que ser supensas devido ao mau cheiro. Foram necessários 150 anos para recuperar o rio, que estava morto. Construíram-se estações de tratamento do esgoto das cidades que antes jogavam seus dejetos diretamente em suas águas. Hoje há 121 espécies de peixe no Tâmisa, inclusive o salmão que é o mais sensível à poluição. Além disso, é possível pescar e praticar esportes em suas águas.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.