O nome “salgueiro” se aplica a diversos arbustos e árvores. Há mais de trezentas espécies de salgueiro. Entre as mais conhecidas está o salgueiro-chorão, uma árvore grande com ramos e galhos pendentes. Por sua vez, o salgueiro-de-amentilhos-sedosos é um arbusto que, na primavera, exibe pequenos bulbos peludos de coloração branca e prateada em seus galhos.

Encontrados em toda a América, na Europa e na Ásia, os salgueiros crescem geralmente em áreas frias e perto de rios, lagos e pântanos. Suas raízes profundas e resistentes ajudam a prevenir a erosão do solo nos litorais.

O tamanho e a forma dos salgueiros variam muito. Eles tanto podem ser arbustos baixos a poucos centímetros do solo quanto árvores grandes com mais de 30 metros de altura. Sua casca pode ser cinza, marrom ou quase preta. As folhas são verdes e estreitas. Em algumas árvores os galhos têm tonalidade de um vivo amarelo, cor de laranja ou vermelha. Um galho que caia da árvore e finque no solo logo cria raízes e gera outro salgueiro.

Leve e resistente, a madeira do salgueiro é usada para fazer cabos de ferramentas, tacos de beisebol, portas e móveis. Uma substância encontrada na casca de certos salgueiros entra na fabricação de medicamentos contra a dor, os chamados analgésicos.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.