O saxofone faz parte da família dos instrumentos de sopro com palheta simples, que alcança tons do soprano (mais agudo) ao baixo (mais grave). É composto por um tubo cônico de metal e chaves acionadas pelos dedos. O primeiro saxofone foi patenteado por Antoine-Joseph Sax na cidade de Paris, na França, em 1846. O nome “saxofone” é derivado do de seu inventor, Sax.

O tubo cônico de metal (originalmente de latão) tem aproximadamente 24 aberturas controladas por chaves acolchoadas; a boquilha é semelhante à de outro instrumento de sopro chamado clarineta. As duas oitavas de aberturas, controladas pelas chaves, permitem que o instrumento alcance os tons mais altos (agudos) da escala.

Em alguns casos, para atingir escalas ainda mais amplas, são usados saxofones especiais, como o sopranino, o tenor, o baixo e o contrabaixo.

Sax não deixou registros históricos de sua invenção, que se destinava a bandas militares e orquestras e derivava de suas experiências com palhetas em instrumentos de latão. Ele rapidamente conseguiu fazer o exército francês adotar sua criação, que em seguida se espalhou por outros países.

O saxofone se tornou muito popular como instrumento solo na época da Primeira Guerra Mundial e, depois, foi adotado em bandas de música, tornando-se o principal instrumento no desenvolvimento do suingue e de outras formas de jazz. Seu uso nas orquestras levou à alteração da boquilha, para produzir sons mais vivos e marcantes. Atualmente esses instrumentos também têm uma sustentação melhor que os antigos.

O saxofone é muito versátil, harmonizando-se bem com os metais e as madeiras. Não é muito adotado em concertos de música clássica, mas é o principal instrumento do jazz, principalmente para improvisar melodias. Entre os grandes saxofonistas de jazz se encontram Charlie Parker e John Coltrane.

No Brasil, grandes saxofonistas, como Pixinguinha, Paulo Moura, Hermeto Pascoal e Livio Tragtenberg, destacaram-se na música popular brasileira e experimental, e George Israel, membro da banda Kid Abelha, é ligado ao rock e à música pop.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.