A palavra “sequoia” designa duas diferentes árvores da América do Norte: a sequoia-gigante (Sequoia gigantea) e a Sequoia sempervirens (em inglês redwood, que significa “madeira vermelha”). O nome de ambas homenageia um célebre nativo do povo cheroqui chamado Sequoyah.

A sequoia do tipo redwood é a árvore mais alta do mundo. Grande parte delas passa dos 90 metros, e foi encontrada uma com 112,1 metros de altura. A sequoia-gigante chega a 85 metros.

O tronco das sequoias pode atingir de 3 a 6 metros de diâmetro e só tem galhos na parte mais alta. Isso ocorre porque, enquanto cresce, a árvore descarta os galhos mais baixos, que têm folhas verde-escuras. Na parte mais alta das sequoias crescem pequenos cones, ou pinhas, de 2,5 a 9 centímetros, dependendo da espécie.

Uma sequoia pode viver mais de 3.500 anos. Isso ocorre porque sua casca é grossa, chegando a 30 centímetros de espessura. Com isso, ela resiste melhor a parasitas, a doenças e a ataques de animais. A casca da sequoia também é resistente ao fogo.

Com sua madeira se fazem móveis, estruturas para o telhado de construções e postes. Nos Estados Unidos, há vários parques de proteção às sequoias.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.