Sistema imunológico é uma barreira especial que protege o corpo dos animais contra substâncias nocivas chamadas antígenos. Alguns dos antígenos mais nocivos são germes como vírus e bactérias, que causam doenças. Partes do sistema imunológico bloqueiam a entrada de antígenos no corpo, e outras partes destroem os antígenos que conseguem entrar.

A proteção dada pelo sistema imunológico é chamada imunidade. Os seres humanos e alguns animais possuem dois tipos básicos de imunidade: a natural e a adquirida.

Imunidade natural

Todos os animais, inclusive os humanos, possuem imunidade natural, que combate qualquer antígeno que penetra ou tenta penetrar no corpo. A pele faz parte da imunidade natural, bloqueando a entrada de muitas coisas no corpo. O muco presente no nariz também bloqueia a entrada de antígenos. Além disso, a maioria dos animais produz substâncias químicas e células especiais que atacam os antígenos dentro do corpo.

Imunidade adquirida

Apenas os seres humanos e outros animais vertebrados possuem imunidade adquirida. O corpo aprende, memoriza e reage. Com esse tipo de imunidade, determinadas células do corpo são capazes de “lembrar-se” dos tipos de antígenos que já atacaram no passado. Essa “memória” permite que o sistema imunológico adquirido ataque esses antígenos com mais força na vez seguinte em que eles penetrarem no corpo.

Determinados glóbulos brancos chamados linfócitos são partes importantes do sistema imunológico adquirido. Existem dois tipos diferentes de linfócitos: os linfócitos B e os linfócitos T. Os linfócitos B liberam produtos chamados anticorpos, que atacam os antígenos. Os linfócitos T se dividem em linfócitos auxiliares e linfócitos citotóxicos. Os linfócitos T auxiliares produzem substâncias que ajudam novos linfócitos a crescer. Os linfócitos T citotóxicos destroem células no corpo que estejam infectadas por antígenos.

Graças à imunidade adquirida, as pessoas só contraem certas doenças, como a catapora, uma vez na vida. É também a imunidade adquirida que garante o funcionamento das vacinas.

Problemas do sistema imunológico

Normalmente os dois tipos de imunidade trabalham juntos para proteger o corpo contra invasores nocivos. Mas às vezes o sistema imunológico não funciona corretamente. Ele pode identificar e tentar destruir células que um médico colocou de propósito no corpo, para ajudá-lo. Por exemplo, o sistema imunológico pode atacar um rim saudável que foi transplantado em um paciente.

O sistema imunológico também pode apresentar reação exagerada a antígenos que não são realmente prejudiciais ao corpo. Um exemplo desse tipo de problema são as alergias. Quando algumas pessoas inspiram pólen de plantas ou consomem determinados alimentos, o sistema imunológico ataca o pólen ou partículas desses alimentos. O ataque provoca espirros, coceira ou outros sintomas.

Outro problema possível do sistema imunológico é chamado resposta autoimune. Isso acontece quando os linfócitos interpretam células saudáveis normais como sendo antígenos e as atacam. A artrite reumatoide é um exemplo de doença autoimune. Nela, os linfócitos atacam as articulações entre os ossos.

Uma doença grave do sistema imunológico é a aids, ou síndrome da imunodeficiência adquirida. A aids é causada pelo “vírus da imunodeficiência humana” ou HIV (sigla do nome em inglês, human immunodeficiency virus), que ataca os linfócitos T auxiliares do sistema imunológico. À medida que os linfócitos T vão morrendo, o sistema imunológico se torna incapaz de proteger o corpo contra outras infecções perigosas.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.