O tamanduá é um animal de aparência curiosa. Sua cabeça comprida, que se prolonga pelo focinho, parece um grande tubo. Desprovido de dentes, ele usa as fortes patas dianteiras, dotadas de grandes garras, para destruir formigueiros e cupinzeiros. Quando os insetos fogem, o tamanduá os captura com a língua fina e comprida.

Onde vive

Os tamanduás vivem nos campos e florestas das Américas Central e do Sul. São da mesma família do bicho-preguiça e do tatu, que também habitam a América Latina.

Espécies de tamanduá

Existem quatro espécies de tamanduá. Todas fazem parte do grupo cujo nome científico, em latim, é Vermilingua (que significa “língua em forma de minhoca”, em tradução aproximada). No Brasil, são comuns três espécies: o tamanduá-bandeira, o tamanduá-mirim (ou tamanduá-de-colete) e o tamanduaí.

O tamanduá-bandeira, ou tamanduá-açu, o gigante da família, chega a medir 1,8 metro de comprimento. A cauda, quase do mesmo tamanho, tem pelos longos e parece uma bandeira. A pelagem é quase toda cinzenta, exceto por duas faixas brancas nos lados do corpo. Ele é ativo tanto de dia como de noite.

O tamanduá-mirim é menor que o tamanduá-bandeira. O corpo alcança até 60 centímetros, com mais 35 centímetros de cauda. O pelo apresenta duas cores bem distintas (amarelo e marrom-escuro ou preto), distribuídas de tal forma que ele parece estar vestido de colete. O tamanduá-mirim busca alimento no solo e nas árvores. Usa a cauda longa e sem pelos para se prender nos galhos e tem hábitos noturnos.

A menor espécie da família é o tamanduaí, que atinge 25 centímetros, sem contar a cauda, que é longa e peluda. A pelagem sedosa tem cor amarelada. As patas dianteiras são dotadas de duas garras e as traseiras, de quatro — por isso, ele é também conhecido como tamanduá-de-dois-dedos. O tamanduá tem hábitos noturnos, vive em árvores das florestas tropicais e caça formigas e cupins.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.