O windsurfe é um esporte que combina aspectos da vela e do surfe em uma embarcação para uma pessoa chamada de prancha a vela.

O windsurfe pode ser praticado em diversas condições — em lagos, em portos, na costa marítima ou em rios. No começo, os velejadores atingiam apenas velocidades modestas. Mas, com o desenvolvimento dos equipamentos, hoje é possível atingir velocidades acima de 40 nós, ou perto de 70 quilômetros por hora.

Equipamento

A prancha a vela é composta de uma prancha, um mastro e uma vela. As primeiras pranchas mediam 3,5 metros e pesavam 27 quilos. Hoje em dia, elas medem entre 2,5 e 4 metros e pesam entre 7 e 18 quilos. As pranchas com mais de 3 metros têm um pequeno patilhão, que aumenta a estabilidade, e também uma pequena quilha, mas não têm leme. As pranchas mais curtas, com menos de 3 metros, têm quilha mas não têm patilhão.

A vela é formada pelo tecido, pelo mastro, pelo pé de mastro e pela retranca. As velas podem ter tamanhos diferentes (entre 3,5 e 10 metros quadrados), e seu formato varia de acordo com o tipo de prova (freestyle, slalom, wave, etc.). O pé de mastro liga o mastro à prancha e tem uma articulação universal, a qual permite que o mastro se mova em todas as direções. A embarcação é dirigida com a mudança da posição do navegador em relação ao vento e à prancha. Isso acontece ajustando-se o controle da retranca de modo a mexer a vela para a frente ou para trás, contra o vento ou a favor dele.

História

Os primeiros modelos de prancha a vela surgiram na década de 1950, nos Estados Unidos. O esporte se espalhou rapidamente pelo país e na década de 1970 já era muito popular na Europa. O primeiro campeonato internacional de windsurfe aconteceu em 1973. Hoje há vários circuitos competitivos que promovem regatas, corridas com obstáculos e o wave (um estilo avaliado subjetivamente pelos juízes).

No windsurfe olímpico, os competidores completam um percurso em forma de triângulo. Nos Jogos Olímpicos de 1984, foi apresentado como esporte de exibição. Em 1992, foram criadas provas separadas para homens e para mulheres.

O windsurfe no Brasil

No Brasil, o esporte é organizado pela Confederação Brasileira de Vela e Motor. Começou a ser praticado no final da década de 1970 e hoje é muito praticado no litoral dos estados do Rio Grande do Norte, do Ceará, do Rio de Janeiro, de São Paulo, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, além de ter praticantes em lagoas no interior de Minas Gerais.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.