O termo world music, ou “música étnica”, ou foi criado originalmente pelos americanos e ingleses para designar todos os tipos de música que não faziam parte de suas principais correntes musicais, como a música pop ou o rock. Em geral, o termo se aplicava a músicas cantadas em outros idiomas que não o inglês, mas na língua do país de origem de cada artista. Dessa forma, o termo não se referia a um único estilo musical, mas a diferentes tipos de música, vindos de qualquer lugar do mundo.

O termo world music começou a se tornar conhecido a partir da década de 1980, quando vários artistas passaram a mesclar ritmos de instrumentos de seu próprio país, inspirados em influências étnicas ou folclóricas, com estilos internacionalmente difundidos, como o jazz, o rock, o funk e o reggae. Os primeiros exemplos de world music a fazer sucesso apareceram na África. Uma das primeiras estrelas foi King Sunny Ade, da Nigéria. Ele liderava um grupo de vários músicos, com guitarra, bateria e coristas. O estilo apareceu como uma novidade fora da África, e seus discos venderam muito. Era a fusão, em uma mesma música, de estilos musicais de diferentes origens.

O público se sentiu atraído por essas músicas, diferentes dos outros estilos de música popular, que vinham de várias culturas. Alguns artistas da música popular começaram a trabalhar com músicos de outros países. Também, incorporaram instrumentos tradicionais como o rebab, da Java (na Indonésia), o dundun, da África, ou a tabla, da Índia. Por exemplo, David Byrne produziu o cantor brasileiro Tom Zé. Em 1986, Paul Simon gravou com músicos da África do Sul o disco Graceland, que foi um dos mais vendidos daquele ano. Peter Gabriel criou o selo Real World para produzir e distribuir discos de artistas da África e da Ásia. Em 1990, a revista musical Billboard começou a publicar uma lista das melhores vendas de discos de world music. Em 1991, foram atribuídos os primeiros prêmios Grammy de world music.

Cesária Évora, de Cabo Verde; Nusrat Fateh Ali Khan, do Paquistão; Youssou N’Dour, do Senegal; ou Lokua Kanza do Congo, são artistas incluídos no gênero da música étnica. Artistas brasileiros de sucesso internacional, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Milton Nascimento ou Seu Jorge, também entram na categoria world music quando se apresentam fora do Brasil. O mesmo acontece com os grupos Gipsy Kings, da França, e o Buena Vista Social Club, de Cuba.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.